Governo italiano quer travar entrada de migrantes

As políticas de migração estão no centro do programa político da coligação de direita.

Ao dirigir-se ao Parlamento, Georgia Meloni comprometeu-se a acabar com as partidas ilegais e com o tráfico de seres humanos, restaurando a chamada "Operação Sofia", e a trabalhar com as instituições da União Europeia (UE) nessa frente.

Disse que o governo quer “impedir os traficantes de pessoas de escolher quem deve entrar em Itália". Mas apesar de estar disposta a cooperar com as instituições da UE, parece que dois dos seus ministros já estão a trabalhar para implementar uma posição dura sobre a migração.

Um é o novo ministro do Interior, Piantedosi, que já ameaçou bloquear dois barcos de salvamento que transportam centenas de migrantes: o Ocean Viking e o Humanity. O argumento é que não cumpriram as regras. O ministro até convocou uma reunião para discutir o assunto com o Comité de Segurança Nacional.

O outro é Matteo Salvini, o líder do Partido a Liga, que foi nomeado como ministro das Infra-estruturas. Será responsável pela supervisão dos portos em todo o país e já ameaçou fechá-los para impedir a entrada de migrantes. Alguns analistas consideram que esta é a campanha de Salvini para ajudar o seu partido a ganhar mais apoio e os votos que tem perdido ao longo dos anos.