Governo libera sigilo de Michelle, mas cartão de vacina de Bolsonaro segue em segredo

Cabe recurso da decisão junto à Controladoria-Geral da União

Sigilo ao cartão de vacina de Bolsonaro foi imposto durante atuação do governo na Covid-19 (Andressa Anholete/Getty Images)
Sigilo ao cartão de vacina de Bolsonaro foi imposto durante atuação do governo na Covid-19 (Andressa Anholete/Getty Images)
  • Governo impediu acesso à carteira de vacinação do ex-presidente Jair Bolsonaro

  • Palácio do Planalto determinou sigilo de 100 anos ao documento no início de 2021

  • No mesmo dia, foi permitido acesso a lista de pessoas que visitaram Michelle Bolsonaro na Alvorada

O Ministério da Saúde negou nesta quarta-feira (11) acesso aos dados relacionados ao cartão de vacina do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

A reportagem do jornal O Globo tentou, por meio da Lei de Acesso à Informação (LAI), obter informações sobre servidores que acessaram o cartão no sistema interno da pasta.

Também foi questionado se houve qualquer tipo de alteração nos dados do cartão de vacinação do ex-presidente por parte dos servidores.

O Ministério, no entanto, explicou que não poderia fornecer a informação, uma vez que o autor do pedido não era o dono do documento. Cabe recurso na decisão, por meio da Controladoria-Geral da União.

Em janeiro de 2021, o Palácio do Planalto impôs sigilo de 100 anos nos dados do cartão de vacina de Bolsonaro, após declarações contrárias do então presidente à vacina contra Covid-19.

Responsável por derrotar Bolsonaro nas eleições presidenciais do ano passado, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) transformou em promessa política a derrubada dos sigilos impostos por seu antecessor.

Sigilo de visitas a Michelle é quebrado

A notícia da negativa do Ministério da Saúde aconteceu no mesmo dia que o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) do governo Lula revogou pela primeira vez um sigilo imposto durante a gestão Bolsonaro.

O órgão enviou um documento ao jornal O Estado de S. Paulo informando a lista de pessoas que visitaram a ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro no Palácio da Alvorada.

A relação tem 565 registros de entradas na residência oficial – tanto pela portaria principal quanto pela de serviço - e abrange o período entre dezembro de 2021 e dezembro de 2022.

Entre os visitantes, há cabeleireira, pastor e ‘personal stylist”. A lista ainda informa a data e horário em que eles adentraram ao Palácio da Alvorada.