Governo Lula dispensa 11 militares da vice-presidência e do GSI

Decisão é reflexo da desconfiança sobre a participação das Forças Armadas em ato terrorista

Governo Lula desconfia de participação de militares nos atos terroristas (AP Photo/Eraldo Peres, File)
Governo Lula desconfia de participação de militares nos atos terroristas (AP Photo/Eraldo Peres, File)

O governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) dispensou nesta quarta-feira (25) 11 militares que atuavam na Vice-Presidência da República ou no Gabinete de Segurança Institucional (GSI).

As dispensas foram publicadas no Diário Oficial da União (DOU) e refletem a desconfiança do governo em relação à participação das Forças Armadas nos atos terroristas do último dia 8, em Brasília.

No total, foram dispensados nove militares da Vice-Presidência da República, que atuavam no Departamento de Administração e Finanças, na Diretoria de Administração e na assessoria militar.

O GSI dispensou outros dois militares, enquanto designou quatro pessoas que atuarão no local.

Relembre o episódio

Apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) cometeram diversos atos de vandalismo e terrorismo ao invadir o Congresso Nacional, o Supremo Tribunal Federal e outros edifícios de poder público em Brasília.

O que aconteceu? Milhares de apoiadores de Bolsonaro chegaram à Brasília no domingo (8) e utilizaram da falta de ação da polícia militar para invadir e depredar diversos prédios públicos, entre eles, principalmente, o Congresso Nacional.

  • Foram destruídos vidros, portas, janelas e, principalmente, obras de arte de valores inestimáveis — algumas do século 19. Imagens dos atos de terrorismo foram gravadas e divulgadas pelos próprios terroristas que invadiram o Congresso

  • Como o Congresso Nacional não estava funcionando, é reportado que diversos funcionários — seguranças, pessoal de limpeza — foram ameaçados pelos terroristas que invadiram o local no domingo

  • Milhares de pessoas foram presas até por envolvimento nos atos terroristas.

Como se organizaram os atos terroristas em Brasília? A linha do tempo interativa abaixo te mostra, clique e explore:

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Obras de arte foram destruídas, itens roubados e o prejuízo ainda é calculado pelas autoridades. Veja a lista completa de obras destruídas nos ataques. Até o fim da segunda (10), pelo 1.500 envolvidos no episódio já haviam sido presos.