Governo Lula pode dar previsibilidade, e mercados estão calmos, diz André Esteves

***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 08.12.2022 - O presidente do BTG Pactual, André Esteves. (Foto: Ronny Santos/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 08.12.2022 - O presidente do BTG Pactual, André Esteves. (Foto: Ronny Santos/Folhapress)

DAVOS, SUÍÇA (FOLHAPRESS) - O presidente do BTG Pactual, André Esteves, afirmou nesta quinta-feira (18), no penúltimo dia da reunião do Fórum Econômico Mundial, que o Brasil tem escala, institucionalidade e certa previsibilidade para ser um mercado atraente para investidores internacionais no atual contexto geopolítico.

O banqueiro participou nesta manhã em Davos do painel "Sem Perder de Vista os Mercados Emergentes". Ao final da sessão, ele falou sobre as qualidades "intrinsecamente muito fortes" que o país apresenta no momento em que o presidente Lula inicia seu terceiro mandato.

"O Brasil tem uma oportunidade única de se posicionar nesse mundo em reestruturação. É o maior exportador de alimentos, exporta energia, minério e tem um mercado interno com escala e instituições fortes", afirmou.

Do ponto de vista político, ele ressaltou que "a transição de poder acontece normalmente, em eleições transparentes em um processo eleitoral dos mais eficientes do mundo, senão o mais eficiente".

Sobre a nova administração Lula, Esteves avalia que "o governo tem todas as condições de dar previsibilidade", levando em conta os compromissos de campanha e também o perfil do presidente Lula, do vice-presidente Alckmin e do próprio ministro da Fazenda, Fernando Haddad, "que durante a Prefeitura de São Paulo foi fiscalmente muito responsável".

Esteves aposta que os mercados tendem a se acalmar com a nova gestão petista na economia brasileira. "Acho que o desenvolvimento natural vai ser os mercados entenderem."

Segundo ele, é algo digno de orgulho o fato de "termos passado sem volatilidade" por esse processo eleitoral. "A volatilidade que se viu foi mais vinda do mercado externo do que do interno, o que vejo como muito positivo", afirmou. "Os mercados estão calmos, sem grande volatilidade."

Esteves não quis comentar sobre o caso Americanas.