Governo pede aval do Congresso para US$1,2 bi em empréstimos internacionais para combater pandemia

Lisandra Paraguassu
·1 minuto de leitura

Por Lisandra Paraguassu

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro enviou ao Congresso nesta quinta-feira dois pedidos de autorização para operações de crédito para empréstimos a serem assinados com o Banco Mundial e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), em um total de 1,2 bilhão de dólares.

Os empréstimos, 1 bilhão de dólares com o Banco Mundial e 200 milhões de dólares com o BID, serão usados para financiar as despesas que a União teve com medidas para amenizar o impacto da pandemia de Covid-19.

De acordo com a Secretaria-Geral da Presidência, "as operações de crédito externo reembolsarão a União das despesas já realizadas nos programas e seus recursos serão destinados ao pagamento da dívida pública federal."

O empréstimo com o Banco Mundial, de 1 bilhão de dólares, foi encaminhado para cobrir o pagamento de despesas do auxílio emergencial e da ampliação do programa Bolsa Família.

Já os 200 milhões do BID serão usados para cobrir as despesas do Programa Emergencial de Acesso a Crédito, que facilitou empréstimos destinados a pequenas e médias empresas, operado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

De acordo com dados do Tesouro Nacional, o governo federal já investiu 508,4 bilhões de reais em medidas contra a pandemia, sendo a maior parte, 293,80 bilhões, no pagamento das parcelas do auxílio emergencial.