Governo proíbe universidades federais de cobrarem vacinação contra a Covid

·1 min de leitura
***FOTO DE ARQUIVO*** BRASÍLIA, DF, 29.11.2021 - O ministro da Educação, Milton Ribeiro, durante coletiva de imprensa no MEC, para falar sobre o ENEM. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***FOTO DE ARQUIVO*** BRASÍLIA, DF, 29.11.2021 - O ministro da Educação, Milton Ribeiro, durante coletiva de imprensa no MEC, para falar sobre o ENEM. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - O Ministério da Educação emitiu um despacho proibindo instituições de ensino vinculadas ao governo federal, como universidades e institutos federais, de exigirem a vacinação contra a Covid-19 para a participação em atividades presenciais.

O despacho, emitido na quarta e publicado na edição desta quinta-feira (30) do DOU (Diário Oficial da União), é assinado pelo ministro da Educação, Milton Ribeiro.

Segundo a determinação, "a exigência de comprovante de vacinação como meio indireto à indução da vacinação somente pode ser estabelecida por meio de lei", e não por decisão de cada instituição.

"No caso das universidades e dos institutos federais, por se tratar de entidades integrantes da administração pública federal, a exigência somente pode ser estabelecida mediante lei federal", completou.

O governo federal tem se posicionado contra a exigência de comprovantes de vacinação em diversas áreas fora do âmbito educacional, como na chegada em aeroportos e em estabelecimentos.

No início de dezembro, o presidente Jair Bolsonaro (PL) disse que "jamais" exigiria um "passaporte da vacinação" e chegou a falar em "lobby das vacinas" ao criticar políticos que defendem a exigência da certificação.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos