Governo projeta safra de grãos 12,5% maior, apesar de estiagem no Sul do país

·2 min de leitura

BRASÍLIA — Mesemo com os problemas climáticos, marcados por excesso de chuvas no Sudeste e no Centro-Oeste e estiagem nos estados do Sul do país, a Companhia Nacional da Abastecimento (Conab) espera um crescimento na produção de grãos este ano, em relação à safra passada. De acordo com o quarto levantamento divulgado nesta terça-feira pela estatal, o Brasil deve produzir 284,4 milhões de toneladas, o que corresponde a um aumento de 12,5%, ou 32 milhões de toneladas a mais.

Na quarta estimativa da Conab, os destaques da safra de grãos, que já começa a ser colhida, são a soja e o trigo. Por outro lado, os técnicos demonstraram preocupação, especialmente, com o milho cultivado no Sul do país, devido à ausência de chuvas. Já constataram queda na produtividade em torno de 14%.

— As expectativas da produção do Centro Oeste contribuíram para a manutenção da expectativa de crescimento da produção de grãos, mesmo com as condições climáticas desfavoráveis no Sul do país, que impactarão na produção de milho primeira safra e soja — disse o diretor de Política Agrícola e Informações da Conab, Sergio De Zen.

Segundo ele, no Rio Grande do Sul, o cenário climático apresentado em dezembro de 2021 foi bastante seco em diversas regiões produtoras e prejudicou a situação de algumas lavouras. No entanto, ressaltou, a safra passada também foi bastante prejudicada por intempéries climáticas e por problemas fitossanitários, o que pode equilibrar os comparativos feitos entre as estimativas de produtividade e produção obtidas nesses dois períodos.

Atualmente, a produção total de milho, considerando primeira, segunda e terceira safras, está estimada em 112,9 milhões de toneladas. Já a soja tem produção projetada em 140,5 milhões de toneladas, o que mantém o Brasil como o maior produtor mundial da oleaginosa.

—A liderança do Brasil na agricultura mostra os avanços conquistados na produção brasileira de grãos — afirmou o presidente da Conab, Guilherme Ribeiro.

Quanto ao trigo, considera-se a safra de 2021, já concluída. O volume colhido foi de 7,7 milhões de toneladas, resultado que superou as expectativas, mesmo com as adversidades climáticas.

Sobre as outras regiões, o gerente de acompanhamento de safras da Conab, Rafael Fogaça, disse que, no Norte de Minas Gerais e no Sul da Bahia, o total de chuvas foi o maior das séries históricas de dezembro.

— No Centro-Oeste, as condições atmosféricas foram favoráveis, mas no Sul, a chuva registrada não foi suficiente para atingir a média em grande parte da região, o que prejudicou a produção no estado —disse Fogaça.

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, deve visitar alguns estados mais afetados pelos problemas climáticos, como o Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e Mato Grosso do Sul. Em entrevista à “Rádio Gaúcha” nesta terça-feira, a ministra disse que a situação é preocupante e está se tornando crítica. Ela afirmou que, no caso do Sul do país, uma das soluções seria ampliar investimentos em irrigação.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos