Governo recusou oferta da vacina da Pfizer pela metade do preço pago por EUA e Reino Unido

·1 minuto de leitura

RIO - A Pfizer ofereceu vender ao Brasil vacinas pela metade do preço Estados Unidos, Reino Unido e União Europeia, mas a oferta foi recusada pelo governo Bolsonaro. Segundo o depoimento à CPI do ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello, o governo qualificou a proposta da Pfizer como “agressiva”, apontou entraves em cláusulas do contrato e disse ter considerado muito elevado o preço de US$ 10 por dose. EUA e Reino Unido pagaram cerca de US$ 20 pelas doses da Pfizer. Os dois países já imunizaram mais de de 40% da população com duas doses de várias vacinas. Na União Europeia, as doses do laboratório norte-americano custaram US$ 18,60. A comparação dos valores das doses de vacinas foi publicada pela "Folha de S. Paulo".


LEIA MAIS: Covaxin recruta voluntários para teste no Brasil; saiba como participar desse e mais 3 estudos

Consideradas caras em agosto de 2020 pelo então ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, até 70 milhões de doses da Pfizer poderiam ter sido entregues a partir de dezembro por US$ 10 cada, valor que acabou sendo aceito meses depois ainda na gestão de Pazuello. Com o atraso nos contratos, as primeiras doses da Pfizer chegaram ao Brasil só em abril, oito meses depois da primeira oferta.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos