Governo reduz conta de luz dos mais pobres em novembro

·1 min de leitura

BRASÍLIA – Os brasileiros que recebem o benefício da Tarifa Social de Energia Elétrica pagarão bandeira tarifária amarela no mês de novembro, anunciou a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) na noite desta sexta-feira.

Essa bandeira ainda indica que há condições desfavoráveis na geração de energia, mas custa menos que as demais.A bandeira amarela implica no pagamento de R$ 1,87 para cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos.

No caso dos beneficiários da tarifa social, os percentuais de descontos que são aplicados na conta – e que variam entre 10% e 65%, a depender do consumo – também incidem sobre o adicional da bandeira.

Até este mês de outubro, os beneficiários da tarifa social estavam pagando o adicional da bandeira vermelha patamar 2, que determinava um pagamento extra de R$ 9,49 para cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos. Os demais consumidores pagam uma bandeira ainda mais cara, a de escassez hídrica, no valor de R$ 14,20 a cada 100 kWh consumidos.

O país vive a pior crise hídrica dos últimos 91 anos e essa nova bandeira, criada neste ano, seguirá vigente até abril de 2022. Quando o governo estabeleceu a bandeira Escassez Hídrica, optou por isentar os consumidores mais pobres desta cobrança.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos