Governo resgata mais uma família e conclui retirada de brasileiros do Afeganistão

·2 minuto de leitura
***ARQUIVO***BRASILIA, DF, 09.04.2021 - O ministro das Relações Exteriores, Carlos Alberto França, deixa o Palácio do Itamaraty, após almoço com o presidente Jair Bolsonaro, em Brasília (DF). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress) ORG XMIT: AGEN2104091516905827
***ARQUIVO***BRASILIA, DF, 09.04.2021 - O ministro das Relações Exteriores, Carlos Alberto França, deixa o Palácio do Itamaraty, após almoço com o presidente Jair Bolsonaro, em Brasília (DF). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress) ORG XMIT: AGEN2104091516905827

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O governo brasileiro anunciou nesta segunda-feira (30) que concluiu a retirada dos dois brasileiros que pediam ajuda para deixar o Afeganistão com suas famílias. Segundo o Itamaraty, eles estão em segurança e em boas condições de saúde.

A Folha de S. Paulo já havia relatado a saída do primeiro brasileiro na última semana, que deixou o país junto de cinco familiares afegãos na sexta-feira (27) e desembarcou na Espanha.

O segundo brasileiro, retirado do pais nesta segunda junto de seis familiares, viajou para o Paquistão no domingo (29), segundo o governo Bolsonaro. A operação foi conduzida pela Embaixada do Brasil em Islamabad, em coordenação com o governo paquistanês. O Brasil não tem representação diplomática em Cabul, capital do Afeganistão.

Há outros brasileiros em território afegão, mas que optaram por permanecer no local. O Ministério de Relações Exteriores disse que monitora a situação deles. "[O Itamaraty] Está também atento aos pedidos de afegãos com visto de residência no Brasil, dentro das possibilidade de apoio a estrangeiros", diz nota do ministério.

Terminaria na terça-feira (31) o prazo para a retirada de ocidentais do país asiático com o fim das operações de evacuação no aeroporto da capital afegã. Mas os Estados Unidos anunciaram nesta segunda, um dia antes do prazo, que concluíram as operações, após 20 anos de ocupação militar no país asiático, na guerra mais longa de sua história.

No último dia 19, a Folha de S. Paulo revelou que o Brasil buscava vaga em voos humanitários para conseguir resgatar brasileiros que pediram ajuda para deixar o país após a tomada do poder pelo Talibã.

O Brasil também facilitou o processo de pedido de refúgio para afegãos que queiram vir ao país fugindo do grupo fundamentalista e estuda conceder visto humanitário, a exemplo do que fez com sírios que fogem da guerra civil.

Hoje são poucos os refugiados afegãos em território brasileiro: 162 já reconhecidos e 49 com processos em andamento, segundo dados atualizados do Ministério da Justiça.

Milhares de afegãos que temem o novo regime do grupo fundamentalista se amontoaram no aeroporto de Cabul nos últimos dias em busca de sair do país --em episódios que resultaram em centenas de mortos e feridos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos