Governo do Rio destina R$ 320 milhões para plano emergencial de microcrédito

RIO - O Governo do Estado do Rio de Janeiro vai destinar R$ 320 milhões em linhas de crédito com condições especiais para atenuar o impacto na atividade econômica de microempreendedores e empresas afetados pela pandemia do novo coronavírus.

Os financiamentos têm prazos e carências estendidos e taxas de juros reduzidas e já podem ser solicitados pelo site da Agência Estadual de Fomento do Rio de Janeiro (AgeRio), vinculada à secretaria de Desenvolvimento Econômico.

Para o microcrédito estão sendo oferecidas taxas a partir de 0,25% ao mês, carência de 12 meses, prazo de pagamento de até 24 meses e limite de crédito de R$ 21 mil. Para Micro, pequenas e médias empresas, as taxas são a partir de 0,74% ao mês, carência de 24 meses, prazo de pagamento de até 60 meses e limite de R$ 500 mil.

A AgeRio disponibilizou uma cartilha para orientar os empresários e informar quais tipos de empresas terão prioridade no acesso ao crédito emergencial e quais são as condições disponíveis. O documento pode ser acessado por meio do link www.agerio.com.br/credito-emergencial. Nele também é possível fazer o cadastro para a solicitação.

O governo utilizará recursos próprios e de fundos estaduais e federais, como Finep (Financiadora de Estudos e Projetos), Fungetur (Fundo Geral de Turismo) e Fempo (Fundo Estadual de Fomento ao Microcrédito Produtivo Orientado para Empreendedores), para providenciar o financiamento. Para a contratação, serão estabelecidas parceiras com Sebrae, cooperativas de crédito, fintechs e entidades de classe.

— A ideia é viabilizar recursos para que as empresas e empreendedores fluminenses possam financiar o capital de giro necessário para superar o período de impacto das receitas, evitando um aumento na taxa de desemprego, o maior prejuízo econômico e, principalmente, o alastramento do vírus — explica o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Energia e Relações Internacionais, Lucas Tristão.