Governo russo é criticado após sofrer violento ataque na guerra na Ucrânia

Por Pavel Polityuk

KIEV, Ucrânia (Reuters) - A Rússia admitiu nesta segunda-feira que dezenas de seus soldados foram mortos num dos ataques mais mortais da guerra na Ucrânia, com nacionalistas russos exigindo punição a comandantes por abrigar soldados perto de um depósito de munição.

O Ministério da Defesa da Rússia disse que 63 soldados morreram na explosão que destruiu um quartel temporário em uma antiga escola vocacional em Makiivka, cidade gêmea da capital regional ocupada pela Rússia, Donetsk.

O ministério disse que a acomodação provisória foi atingida por quatro foguetes disparados de lançadores Himars, fabricados nos EUA, alegando que dois dos foguetes foram derrubados. Kiev disse que o número de mortos russos está na casa das centenas, embora autoridades pró-Rússia considerem isso um exagero.

Blogueiros militares russos disseram que a destruição resultou do armazenamento de munição no mesmo prédio de um quartel, apesar de comandantes saberem que estava ao alcance de foguetes ucranianos.

Separadamente, a Ucrânia disse que abateu todos os 39 drones que a Rússia lançou na terceira noite consecutiva de ataques aéreos contra alvos civis em Kiev e em outras cidades.

Autoridades ucranianas disseram que seu sucesso provou que a tática da Rússia nos últimos meses de realizar ataques aéreos para desmontar a infraestrutura de energia da Ucrânia foi um fracasso, à medida em que Kiev reforça suas defesas aéreas.

Imagens não verificadas postadas online após o ataque ao quartel russo de Makiivka mostraram um enorme prédio reduzido a escombros fumegantes.

Igor Girkin, ex-comandante das tropas pró-Rússia no leste da Ucrânia que surgiu como um dos blogueiros nacionalistas russos de maior destaque, disse que o número de mortos estava na casa das centenas, depois editando seu post para incluir feridos nesse número. Munição havia sido armazenada no local e o equipamento militar russo não estava camuflado, disse ele.

Outro blogueiro nacionalista, Rybar, disse que cerca de 70 soldados foram confirmados mortos e mais de ficaram 100 feridos.

"O que aconteceu em Makiivka é horrível", escreveu Arcanjo Spetznaz Z, outro blogueiro militar russo com mais de 700.000 seguidores no Telegram.

"Quem teve a ideia de colocar militares em grande número em um prédio, onde até um tolo entende que mesmo que sejam atingidos com artilharia, haverá muitos feridos ou mortos?", escreveu.

O reconhecimento da Rússia de dezenas de mortes em um incidente foi quase sem precedentes. Moscou raramente divulga números de suas baixas e, quando o faz, os números são geralmente baixos - o governo russo reconheceu apenas uma morte entre uma tripulação de centenas quando a Ucrânia afundou seu principal cruzador Moskva em abril.

(Reportagem das redações da Reuters)