Coronavírus: Governo de SP decreta estado de calamidade pública a partir de sábado

Ana Letícia Leão
Imagem do microscópio eletrônico de transmissão mostra o Sars-CoV-2 isolado de um paciente nos EUA.

O governador de São Paulo, João Doria, anunciou nesta sexta-feira a adoção do estado de calamidade pública a partir de sábado (21) em decorrência da pandemia do novo coronavírus.

E nos siga no Google News:

Yahoo Notícias | Yahoo Finanças | Yahoo Esportes | Yahoo Vida e Estilo

O balanço da Secretaria Estadual de Saúde constou que São Paulo tem 286 casos confirmados e outros 7.669 suspeitos. Até esta sexta, foram 5 óbitos confirmados por Covid-19, e ainda 24 pacientes internados em estado grave, todos em hospitais privados.

Leia também

“Objetivo não é gerar pânico, nem pavor, mas gerar facilidades de ações do governo e dos municípios. Repito, não é para criar pavor, nem pânico, nem agravar a situação”, explicou o governador João Doria, em coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

O decreto facilita a compra de materiais e aquisição de serviços essenciais, sem necessidade de licitação, necessários ao combate ao coronavírus.

Foi anunciada também a suspensão de atividade de serviços públicos estaduais não essenciais, a partir de segunda-feira, até 30 de abril.

Isso inclui o fechamento de locais como o zoológico e 102 unidades de conservação de todos os parques estaduais, como Villa-Lobos, o do Tietê, Jardim Botânico, Água Branca e Horto Florestal. O complexo esportivo do Parque do Ibirapuera também ficará fechado.

Serviços como Poupatempo e Detran não terão mais atendimento presencial, realizando serviços apenas de forma online.

“As pessoas não devem ficar preocupadas. O atendimento não será interrompido, apenas deixará de ser presencial. Não há necessidade de corrida aos três órgãos”, declarou Doria.