Governo salvadorenho prorroga quarentena domiciliar obrigatória

Operário desinfecta roupa protetora de profissional de saúde, antes da entrada na UTI do Hospital San Rafael, em 16 de maio de 2020 em Santa Tecla

O governo de El Salvador estendeu a quarentena domiciliar obrigatória na noite de terça-feira (19), que permanecerá em vigor até 6 de junho para conter o novo coronavírus - informou o secretário jurídico presidencial, Conan Castro.

"Hoje, por meio do Ministério da Saúde, trazemos o Decreto Executivo 26, que decreta a quarentena obrigatória em residências", disse Castro à imprensa.

Baseada no Código de Saúde, a prorrogação foi adotada com o objetivo de "continuar a conter" a propagação da pandemia da COVID-19, alega a Presidência em um comunicado.

Com base no último dígito do documento de identidade pessoal, os salvadorenhos podem ir ao supermercado, farmácia, ou bancos.

Com o decreto, o transporte coletivo público continuará sendo "restrito" (paralisado), porque continua sendo "o local de maior contágio para o vírus da COVID-19", afirmou Castro.

O secretário alertou que aqueles que "violarem" a quarentena serão levados para uma avaliação por um médico que determinará "uma quarentena obrigatória de 15 dias".

A quarentena familiar iniciada em 21 de março por meio de um decreto executivo foi prorrogada por decretos sucessivos do Ministério da Saúde.

Até ontem, El Salvador registrou 1.498 casos de COVID-19 e 30 óbitos.