Governo de SP diz que distanciamento social surtiu efeito e cogita 'lockdown'

ARTUR RODRIGUES

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O governo João Doria (PSDB) afirmou nesta quinta-feira (26) que as medidas isolamento adotadas até o momento já fizeram efeito para a redução da disseminação do coronavírus no estado de São Paulo e cita a possibilidade de lockdown (restrição de circulação com uso policial). Também é cogitada a possibilidade de que policiais abordem idosos para recomendar que eles vão para casa.

"O que gostaria de observar se vocês se lembram bem nós éramos praticamente 90% dos casos do Brasil; agora, nós somos 30% dos casos, o que significa que existe uma expansão da epidemia de forma acelerada", disse o secretário estadual da Saúde, José Henrique Germann. "O que mostra para nós neste cenário que as medidas de restrição de mobilidade estão sendo suficientes e colaborando de forma efetiva para que a gente tenha 862 casos [de um total de 2.433 no país]".

Germann, no entanto, afirmou que se necessário pode ser feito um isolamento não voluntário dos cidadãos. "O que estamos fazendo não é isolamento. Estamos fazendo distanciamento social. O próximo passo seria o isolamento. E se houver necessidade, aí seria o lockdown e a característica é o uso da força para manter as pessoas em casa", disse Germann.

O governador afirmou que é cogitada a possibilidade de abordagem de idosos nas ruas pela polícia. "Se nós continuarmos ainda vendo em ruas nas áreas de circulação pessoas visivelmente com mais de 60 anos, elas poderão ser abordadas por policiais como por agentes da GCM recomendando que sigam para suas casas", disse. "Já temos mais 70 veículos da Polícia Militar com alto-falando circulando por áreas adensadas pedindo que pessoas com mais de 60 anos fiquem em casa".

Doria também anunciou repasse de R$ 218 milhões para 80 municípios com mais de 100 mil habitantes no estado. Segundo ele, ainda serão anunciados repasses para a capital paulista e cidades menores nos próximos dias.

O tucano afirmou que a medida tem como objetivo ajudar no combate ao coronavírus e ajudar pessoas em situação de vulnerabilidade.

Doria vem fazendo entrevistas coletivas diárias, nas quais tem buscado se diferenciar do presidente Jair Bolsonaro, que minimiza a crise do cornavírus. O tucano baixou o tom das críticas ao presidente nesta quinta.

A entrevista coletiva desta quinta aconteceu após um dia tenso de Doria com o governo federal. Reunido com outros 25 governadores, o tucano conseguiu isolar Jair Bolsonaro.

Enquanto Bolsonaro afirmou que Doria deveria sair do palanque, o governador paulista mantém um discurso de que segue recomendações técnicas da OMS (Organização Mundial da Saúde).