Governo de SP multa políticos por falta de máscara em ato na Avenida Paulista

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

SÃO PAULO - O governo de São Paulo multou por falta de uso de máscara dez lideranças políticas, entre elas o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) e o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), que participaram do ato pelo impeachment do presidente Jair Bolsonaro no último domingo, na Avenida Paulista.

Manifestações: Divisão da oposição esvazia atos contra o governo Bolsonaro após 7 de setembro

A notificação, no valor de R$ 552,71, será enviada pelos Correios. O uso de máscara em locais públicos é obrigatório em São Paulo.

Além de Ciro e Vieira, o Centro de Vigilância Sanitária do estado autuou também João Amoêdo (Novo), os deputados federais Joice Hasselmann (PSL), Marcelo Ramos (PL) e Júnior Bozzella (PSL), o coordenador do Movimento Brasil Livre (MBL), Renan Santos, e os deputados estaduais Arthur do Val (Patriota), Heni Ozi Cukier (Novo) e Isa Penna (PSOL). O governador João Doria também compareceu ao ato, mas não foi multado.

Na manifestação a favor de Bolsonaro ocorrida na Avenida Paulista no dia 7 de setembro, o governo de São Paulo havia multado 14 pessoas, inclusive o presidente Jair Bolsonaro. Após a manifestação pelo impeachment, bolsonaristas se valeram de imagens do ato e foram às redes sociais cobrar do governo paulista punição aos políticos de oposição que não usaram máscara.

"E agora Doria, as regras só valem para quem pensa diferente de você?”, escreveu o empresário Luciano Hang, dono das Lojas Havan, ao publicar um imagem de Ciro e Amoêdo. Hang tinha sido um dos multados no dia 7.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos