Governo de SP prevê vacinação de pessoas de 55 a 59 anos e professores em julho

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O governo João Doria (PSDB) anunciou nesta quarta-feira (19) uma projeção da vacinação contra a Covid-19 de pessoas entre 55 e 59 anos e de professores em julho.

De acordo com o cronograma divulgado, pessoas dessa idade seriam imunizadas entre 1º e 20 de julho.

A partir do dia 21 de julho, será a vez dos professores e profissionais de educação entre 18 e 46 anos, de acordo com a projeção. O calendário leva em conta as previsões de chegada de vacinas do Ministério da Saúde.

O governo também afirmou que finalizará a vacinação de pessoas com deficiências e comorbidades em junho. No dia 21 de maio, deve começar a vacinação das pessoas com deficiência permanence beneficiárias do BPC (Benefício de Prestação Continuada) e pessoas com comorbidades entre 45 a 49 anos. A partir de 28 de maio, serão vacinadas as pessoas com deficiência permanente e comorbidades de 40 a 44 anos.

"Esperamos em junho terminar todas as comorbidades até 18 anos e também as pessoas com deficiência, não só aquelas com deficiência permanente que estão no BPC mas todas com deficiência permanente", disse Regiane de Paula, coordenadora estadual de imunização.

Ela afirma que aguarda o recebimento de doses do Ministério da Saúde para estabelecer o dia exato em que vai começar a vacinação da população entre 55 e 59 anos em julho.

Dimas Covas, do Instituto Butantan, afirma que a previsão de entrega de 12 milhões de doses em maio e 6 milhões em junho. Para isso, seria necessário ter 10 mil litros no começo de maio.

O instituto afirmou que apenas 3 mil litros de insumos foram autorizados, com voo marcado para o dia 25. "Com isso, essa expectativa de entrega de 12 milhões não se cumprirá. Na madrugada aconteceu uma reunião na China entre o embaixador brasileiro e a Sinovac, e as informações foram positivas e esperamos que de fato surta efeito junto ao governo chinês para que haja essa sensibilização para a liberação de mais doses", disse Covas.