Governo sueco acusa escola muçulmana de segregação

O primeiro-ministro sueco, Stefan Löfven, no dia 25 de março de 2017

O primeiro-ministro sueco, Stefan Löfven, condenou nesta terça-feira a "segregação" praticada em um colégio particular muçulmano de Estocolmo, acusado de separar as meninas dos meninos no ônibus escolar e nas áreas de recreação.

A emissora TV4 divulgou nesta terça-feira vários fragmentos de um documentário sobre a escola de educação primária Al-Azhar, onde pode-se ver os meninos entrando pela porta da frente do ônibus e as meninas pela porta traseira.

Os estudantes, entre seis e 10 anos de idade, pegam o veículo pela manhã e à tarde, pois ele os transporta de e até seus domicílios.

"Acho execrável. Isso não tem cabimento aqui, na Suécia", reagiu Löfven, acrescentando que pediu ao seu ministro da Educação uma investigação sobre o que qualificou de "segregação" nesta escola.

Por enquanto, a direção do colégio não quis responder as perguntas da AFP.