Governo sueco ganha voto de confiança graças à deputada pró-curda

O governo sueco evitou uma crise política nesta terça-feira ao ganhar um voto de confiança do Parlamento. A primeira-ministra Magdalena Andersson anunciou que renunciaria se a oposição ganhasse a votação.

A oposição de extrema-direita e de direita reuniu 174 votos de 289. Era necessária a maioria absoluta de 175 deputados para censurar o ministro do Interior e de Justiça, Morgan Johansson.

O voto decisivo foi de uma deputada pró-curda, que se opõe a fazer concessões à Turquia para que a Suécia ingresse na Otan. Amineh Kakabaveh, antiga combatente de um grupo curdo iraniano, anunciou logo cedo que não seguiria a oposição.

Ela passou o final de semana negociando com o governo social-democrata. Kakabaveh, da esquerda radical, ameaçou votar contra o ministro se não houvesse garantias para as delicadas negociações com a Turquia, para o ingresso da Suécio na Otan.

A Turquia se opõe, até o momento, à entrada da Suécia e da Finlândia na aliança e acusa Estocolmo de apoiar grupos curdos que considera terroristas, como o YPG.

Kakabavec desempenhou um papel fundamental para a eleição de Magdalena Andersson em novembro de 2021, depois de conseguir uma declaração de apoio dos social-democratas ao YPG. O partido confirmou que a declaração, que contraria a exigência turca de romper com o apoio sueco ao YPG, continua valendo.

A votação de confiança aconteceu a três meses das eleições legislativas de 11 de setembro, que pode levar a direita ao poder com o apoio, pela primeira vez, da extrema-direita.

bur-jll/map/aco/clr/grp/mb/jc

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos