Governo suspende viagens do Irã, mas ainda não inclui Estados Unidos na lista

André de Souza

BRASÍLIA - O governo federal incluiu o Irã na lista de países proibidos de voar para o Brasil. Para tentar conter o avanço da epidemia do novo coronavírus, uma portaria da semana passada já restringia a entrada de estrangeiros provenientes da China, Islândia, Noruega, Suíça, Reino Unido, Austrália, Japão, Malásia e Coreia do Sul, além dos países da União Europeia. Os Estados Unidos, onde a epidemia está mais avançada do que no Brasil, continuam de fora da lista.

A inclusão do Irã foi feita por meio de uma nova portaria, publicada em edição extra do Diário Oficial da União na noite desta segunda-feira. O texto atual deixa claro que qualquer estrangeiro, independentemente de sua nacionalidade, está vetado de entrar no Brasil se for proveniente de um dos países da lista.

A portaria também permite que alguns estrangeiros possam entrar no Brasil de forma a voltar para seus países. Segundo o Ministério na Justiça, um grupo de poloneses teve que entrar no Brasil por Foz do Iguaçu (PR) para poder retornar para casa. O texto esclarece ainda questões como a situação de estrangeiros em conexões aéreas.

Na semana passada, o presidente Jair Bolsonaro disse que os Estados Unidos não foram incluídos na portaria que barrou a entrada de pessoas vindas de países europeus e asiáticos no Brasil porque estão "em situação semelhante" ao Brasil em relação ao novo coronavírus.