Governo tira dinheiro da Cultura e Agricultura Familiar para 'bombar' propaganda

Eraldo Peres/AP Foto

RESUMO DA NOTÍCIA

  • De mais de R$ 171 milhões remanejados, área de propaganda do Planalto recebeu, sozinha, R$ 126,3 milhões – nada menos que 74%.

  • A maior parte do dinheiro do remanejamento, R$ 100 milhões, foi tirada do Ministério da Cidadania.

O remanejamento de R$ 171,3 milhões do governo federal, na semana passada, favoreceu preferencialmente a área de propaganda da Presidência da República.

SIGA O YAHOO NOTÍCIAS NO INSTAGRAM

SIGA O YAHOO NOTÍCIAS NO FLIPBOARD

Segundo o blog do jornalista Guilherme Amado, da Revista Época, a comunicação do Planalto recebeu, sozinha, R$ 126,3 milhões – nada menos que 74% do repasse.

Leia também

Já órgãos como o Ministério da Justiça, por outro lado, tiveram mais de R$ 1,2 bilhão bloqueado. Mesmo em meio às queimadas na região da Amazônia e ao escrutínio internacional sobre o tema, o Ministério do Meio Ambiente está com R$ 195 milhões bloqueados.

O Ministério da Infraestrutura foi outro órgão beneficiado no remanejamento, especificamente na estatal Valec, com R$ 45 milhões.

A maior parte do dinheiro do remanejamento, R$ 100 milhões, foi tirada do Ministério da Cidadania. Áreas como "promoção e fomento à cultura brasileira", "aquisição e distribuição de alimentos na agricultura familiar" e "apoio a tecnologias sociais de acesso à água para consumo humano e produção de alimentos na zona rural" foram afetadas.

O Ministério do Desenvolvimento Regional teve R$ 45 milhões do orçamento cortado das áreas "apoio a sistemas de transporte público coletivo urbano" e "apoio à implantação, ampliação ou melhorias" de sistemas de esgoto em cidades com mais de 50 mil habitantes.