Governo vai agir 'o mais breve possível' contra garimpeiros, diz ministro da Justiça

·1 min de leitura

BRASÍLIA — O ministro da Justiça, Anderson Torres, afirmou nesta quarta-feira que a Polícia Federal (PF) está acompanhando a atuação de garimpeiros que se instalaram o Rio Madeira, no Amazonas, para extrair ilegalmente ouro e que o governo vai agir "o mais breve possível".

— A Polícia Federal já está acompanhando e muito em breve teremos um resultado — disse Torres, após uma cerimônia no Ministério da Justiça. — (Governo vai agir) O mais breve possível.

De acordo com o ministro, a ação pode envolver também o Exército e a Força Nacional. Torres, contudo, disse que ainda não pode dizer quantas pessoas irão participar.

— Força Nacional, Exército (podem participar). Ainda não tenho como precisar (o número de agentes). O planejamento está terminando, estamos analisando a situação e estamos indo para lá ver o que está acontecendo.

Moradores da região relatam que os garimpeiros começaram a divulgar a informação de que haveria ouro no trecho do rio próximo a comunidade de Rosário, no município de Autazes (AM).

A Polícia Federal informou, por meio de nota, que "se encontram em andamento, tratativas interinstitucionais sobre a notícia dos garimpeiros na calha do rio Madeira. Assim que reunidas informações e dados acerca de ações desta Superintendência Regional da Polícia Federal sobre o assunto em questão, encaminharemos para o conhecimento de todos".

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) informou, também em nota, que teve ciência do caso na quarta-feira e que houve uma reunião com o Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) para alinhar as informações, a fim de tomar as devidas providências e coordenar uma fiscalização de garimpo na região.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos