Governo vai gastar R$ 93 milhões para tirar marca Bolsa Família de cartões

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Governo Bolsonaro quer retirar marca do Bolsa família dos cartões de benefícios sociais concedido aos mais pobres.
Governo Bolsonaro quer retirar marca do Bolsa família dos cartões de benefícios sociais concedido aos mais pobres.

Pensando na reeleição, o governo do presidente Jair Bolsonaro (PL) vai desembolsar R$ 93 milhões para retirar o selo do Bolsa Família e colocar a do Auxílio Brasil em cartões de benefícios sociais para famílias pobres. O dinheiro virá do orçamento do Ministério da Cidadania à Caixa. As informações são do portal Metrópoles.

O acordo entre o ministério e o banco estatal foi celebrado no início de junho e durará sete meses, até janeiro. O custo de cada cartão foi estimado em R$ 14.

No final de junho, 3,2 milhões de novos cartões já começaram a ser enviados com a nova aos beneficiários em todo o país. Com os cartões, é possível fazer compras no débito e sacar o dinheiro depositado pelo governo.

O Auxílio Brasil, concebido no ano passado pela gestão Bolsonaro, substituiu o Bolsa Família, programa lançado no governo do ex-presidente Lula (PT) . Em outubro, Lula e Bolsonaro irão disputar os votos na eleição presidencial e o auxílio deve ser tema de embate entre os candidatos.

Auxílio Brasil

O programa social Auxílio Brasil começou a ser pago em novembro de 2021, com aumento de 17,8% no valor médio (para R$ 217,18) em relação ao antecessor Bolsa Família.

Para cumprir com esse valor, o governo de Bolsonaro lançou uma PEC (proposta de emenda à Constituição) dos Precatórios, que foi aprovada no Congresso.

O Auxílio Brasil de R$ 600 deverá ser pago a 19,8 milhões de famílias entres os meses de agosto e dezembro de 2022, como mais uma medida econômica do presidente Jair Bolsonaro (PL) na tentativa de ganhar as eleições.

O valor, previsto na chamada PEC (proposta de emenda à Constituição) Kamikaze, sobe de R$ 400 para R$ 600 de forma temporária. Para isso, será decretado estado de emergência no país. Em janeiro de 2023, o valor deve voltar aos R$ 400 atuais. A proposta já foi aprovada no Senado e espera aval da Câmara. Para passar a valer, no entanto, precisa ser promulgada.

Para receber o Auxílio Brasil, é preciso estar inscrito no CadÚnico (Cadastro Único) e fazer parte de família que esteja em situação de extrema pobreza, com renda de até R$ 105 por pessoa da família (per capita); pobreza, com renda entre R$ 105,01 a R$ 210 por pessoa da família (per capita); em regra de emancipação, que é quando o beneficiário conquista um emprego formal, mas segue com direito de receber o benefício se a renda por pessoa da família for de até R$ 525.

A inscrição é feita nos Cras (Centros de Referência da Assistência Social) das prefeituras.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos