Governo vai fazer busca ativa de famílias com direito ao Bolsa Família

O governo federal vai iniciar uma busca ativa de famílias que têm direito ao Bolsa Família mas estão fora do programa de distribuição de renda. O anúncio foi feito pelo ministro do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome, Wellington Dias, em vídeo públicado neste domingo (dia 15) nas redes sociais do Partido dos Trabalhadores (PT).

Segundo Dias, a iniciativa será focada em pessoas de todas as regiões do país e deve acontecer em parceria com os municípios, com repasse de recursos.

— (Haverá) a pactuação com a rede de assistência social, com todo o Sistema Único da Assistência Social (Suas), CRAS, Creas, enfim, onde vamos voltar a repassar recursos para os municípios para garantir as condições desse trabalho de atualização do Cadastro de Busca Ativa para trazer quem precisa para ter o recebimento do Bolsa Família — afirmou.

Na publicação, o ministro também afirmou que a iniciativa deve auxiliar no rastreamento das famílias que têm crianças para recebimento dos R$ 150 por criança de até 6 anos de idade. Ele reforçou que o valor adicional, uma promessa de campanha do presidente Lula, começará a ser pago a partir de março.

Os recursos para custear o benefício extra devem vir a partir da exclusão de beneficiários irregulares do Bolsa Família.

Na semana passada, Dias afirmou que o governo Lula vê indícios de irregularidades em cerca de dez milhões de beneficiários. Segundo ele, são, ao menos, 6 milhões de famílias formadas por uma única pessoa. Essas inscrições suspeitas estão no Cadastro Único (CadÚnico), porta de entrada para o pagamento do Bolsa Família, que serão submetidas a uma avaliação mais rigorosa para a confirmação das informações.

Segundo o ministro, o trabalho de revisão cadastral — que tanto vai retirar quanto acrescentar novos beneficiários — será feito em fevereiro.