Governo volta atrás e exonera superintendente da PRF no Piauí

O governo Lula voltou atrás e decidiu exonerar também o superintendente da Polícia Rodoviária Federal (PRF) no Piauí, Paulo Nunes Moreno. Em portaria assinada pelo ministro da Casa Civil, Rui Costa, nesta quinta-feira, 26 dos 27 superintendentes estaduais da PRF foram trocados. Moreno era, até então, o único superintendente a permanecer no cargo. Os novos nomes ainda serão oficializados.

Saiba: TSE abre nova ação para investigar campanha de Bolsonaro

Leia mais: Jobim critica 'euforia' do PT e diz que 'retaliação generalizada' fortalece Bolsonaro

A exoneração de Moreno deve ser publicada na edição extra do Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira. A justificativa oficial do Ministério da Justiça, a ser anunciada em nota oficial, deve informar que Moreno não aceitou o convite para assumir uma diretoria da PRF, e por isso será exonerado. O GLOBO apurou, contudo, que a decisão foi motivada pela repercussão negativa da permanência de Moreno no cargo.

O policial participou das operações da corporação que impactaram o fluxo de eleitores no dia do segundo turno das eleições, quando a PRF sofreu críticas e foi alvo de decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, para que não efetuasse blitz no dia da votação. O Ministério Público Federal investiga a atuação da PRF nesse dia.

Moreno estava cotado para assumir a Diretoria de Gestão de Pessoas da Polícia Rodoviária Federal (PRF), mas até essa decisão foi revista, e ele não será mais alçado, a princípio, a nenhum cargo de direção.