GP da África do Sul pode retornar à Fórmula 1 após 30 anos, diz agência

Após um hiato de mais de 30 anos, a Fórmula 1 pode voltar a ter uma prova da categoria realizada no continente africano. Nesta semana, o presidente-executivo da entidade, Stefano Domenicali, está realizando uma visita ao país, mais precisamente ao circuito de Kyalami, ao norte de Joanesburgo, esta semana.

Vitória e marca histórica: Verstappen leva GP do Azerbaijão com tranquilidade após abandono da Ferrari

Bet: tudo o que você precisa saber para fazer apostas esportivas on-line

Mudanças: IFAB aprova cinco substituições por partida de futebol de maneira definitiva

O GP da África do Sul foi realizado pela última vez em 1993, também no circuito de Kyalami, e teve o francês Alain Prost como vencedor. O país recebeu a principal categoria do automobilismo mundial entre os anos de 1934 e 1939 (com exceção de 1935) e de 1960 a 1985 (exceto em 1949), quando saiu do calendário em decorrência do regime do Apartheid. Outras duas provas foram realizadas em 1992 e 1993.

Segundo a AFP, fontes disseram, no entanto, que ainda não há acordo ou confirmação de que a corrida será realizada no país. No início desta temporada, a F1 já havia anunciado que um Grande Prêmio seria realizado em Las Vegas no próximo ano, enquanto corridas tradicionais em países como França e Bélgica ainda não foram confirmadas.

Magic Paula: ‘As más gestões mataram gerações do basquete’

Ainda segundo a agência, os organizadores estão planejando 24 corridas para o próximo ano — um recorde no número de provas —, mas, neste cálculo, já estaria incluída uma prova a ser realizada na China, onde a pandemia de Covid-19 levou ao cancelamento dos GPs de Xangai desde 2020.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos