GP da China fica fora do calendário da F1 pelo terceiro ano seguido

·1 min de leitura
Grande Prêmio da China de Fórmula 1 de 2019 em Xangai

Por Alan Baldwin

LONDRES (Reuters) - A Fórmula 1 terá um recorde de 23 corridas na próxima temporada, mas o Grande Prêmio da China foi descartado pelo terceiro ano seguido devido à pandemia de Covid-19.

Provas na Austrália, Cingapura, Canadá e Japão, todas canceladas nas últimas duas temporadas, foram incluídas no calendário publicado nesta sexta-feira.

A corrida no Brasil, em Interlagos, foi marcada para 13 de novembro e será a penúltima de 2022.

"Devido às condições da pandemia em andamento, a China não será incluída no calendário de 2022. A China será reinstituída ao calendário assim que as condições permitirem", comunicou a F1.

A temporada de 2022 marca o início de uma nova era, com grandes mudanças de regras, e começa no circuito Sakhir do Barein no dia 20 de março.

Ela termina cerca de 35 semanas depois no circuito Yas Marina de Abu Dhabi em 20 de novembro, o fim de campeonato mais precoce desde 2010.

A F1 está atenta para evitar um choque regional com a Copa do Mundo de futebol, que começa no Catar no final de novembro.

A corrida australiana em Melbourne, que inaugurou a temporada nos últimos anos, foi marcada para 10 de abril como terceira rodada para dar mais tempo para o afrouxamento das restrições de viagens do país.

"Agora, mais do que nunca, precisamos de grandes eventos internacionais, como o Grande Prêmio da Austrália, para não somente ajudar nossa economia a se recuperar, mas para recobrar o ânimo", disse o presidente-executivo da Corporação Grande Prêmio da Austrália, Andrew Westacott.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos