Almagro denuncia "ainda mais alteração da ordem constitucional" na Venezuela

Washington, 1 abr (EFE).- O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro, opinou neste sábado que na Venezuela há "ainda mais alteração da ordem constitucional" depois que um pedido do presidente venezuelano, Nicolás Maduro, fez com que o Tribunal Supremo de Justiça (TSJ) desistisse de assumir as funções do parlamento.

"Venezuela, não se sai de uma ruptura institucional com ainda mais alteração da ordem constitucional", escreveu o líder da OEA em sua conta oficial no Twitter.

Almagro compartilhou um artigo do jornal venezuelano "El Nacional" sobre o encontro de sexta-feira do Conselho de Defesa da Nação, uma instância de consulta do chefe de Estado que se reuniu a pedido de Maduro e determinou que o TSJ revisasse as sentenças que tinha adotado para retirar os poderes da Assembleia Nacional (parlamento).

Como consequência, o TSJ anunciou neste sábado que desistiu de assumir as funções do parlamento, de maioria opositora, ao "suprimir" algumas partes de uma sentença emitida nesta semana e que tinha repercutido entre vários governos da região.

O próprio Almagro qualificou de "autogolpe de estado" a decisão do Tribunal Supremo de substituir o parlamento, e isso o levou a solicitar ao Conselho Permanente da OEA uma sessão urgente sobre a Venezuela.

O Conselho Permanente deve se reunir na segunda-feira, por solicitação de 20 países, para "considerar os recentes eventos" na Venezuela, como também fez na terça-feira passada. EFE