Grécia quer aumentar exportação de eletricidade

Grécia quer aumentar exportação de eletricidade

Em Alexandrópolis, no norte da Grécia, começou a construção de uma central elétrica alimentada a gás. A central vai usar gás natural liquefeito de uma estação flutuante que também está a ser construída na área.

Para a Grécia, este é um passo para aumentar o seu potencial de exportação de eletricidade. E Atenas vê-o também como um contributo para apoiar a independência energética do continente europeu. “O governo grego realça que a nova central em Alexandrópolis vai aumentar ainda mais a independência energética da Europa, pois usará gás natural liquefeito (GNL) que chega a esta área através de navios e não de gasodutos”, realçou a correspondente da Euronews na Grécia, Symela Touchtidou.

Na cerimónia de início da construção da central esteve presente o ministro búlgaro da Energia, Rossen Hristov. A Bulgária será o primeiro país para onde a eletricidade da central será exportada. “Congratulamo-nos com a inauguração do projeto de construção da central a gás, pois trará maior estabilidade à região e segurança energética não só para a Grécia, mas também para o sudeste da Europa, onde a procura por eletricidade cresce a cada ano", destacou Rossen Hristov.

A Grécia está a trabalhar nas infraestruturas necessárias que lhe permitirá exportar eletricidade para a região mais ampla dos Balcãs no futuro.

"Podemos fornecer energia elétrica não apenas à Bulgária, mas também à Macedónia do Norte, Kosovo e Sérvia. Estamos a trabalhar para construir interconexões elétricas mais próximas", disse o presidente da Independent Power Transmission Operator (IPTO), Manousos Manousakis.

A central de Alexandrópolis também poderá queimar hidrogénio para gerar eletricidade. Deve entrar em funcionamento em 2026.