Gracyanne Barbosa diz que Belo a faz sentir ‘amada, poderosa e forte’ ao apoiá-la no carnaval

Carol Marques
1 / 6

gr

Gracyanne Barbosa diz que Belo a faz sentir ‘amada, poderosa e forte’ ao apoiá-la no carnaval

Há 12 carnavais, Gracyanne Barbosa não sabe o que é pisar fora da Sapucaí. Esta experiência ela teve em 2014 e 2015 e não quer repeti-la. Amante da folia, a rainha de bateria da União da Ilha — ela já passou por Salgueiro, Vila Isabel, Mangueira, Unidos da Tijuca, Paraíso do Tuiuti, Portela E Unidos do Jacarezinho — se dedica o quanto pode para viver como se não houvesse cronômetro os 75 minutos em que atravessa a Avenida. Às vésperas de reinar novamente, a musa fitness entra numa brincadeira e responde a um pingue-pongue carnavalesco.

Se você não estivesse envolvida com as escolas de samba, qual seria o carnaval dos sonhos?

Eu realmente não me vejo fora da Sapucaí, muito menos longe da União da Ilha, que se tornou minha segunda casa. Mas eu gosto de festa, de fantasia, do lúdico, da igualdade. Estaria em algum lugar que tivesse isso tudo também! Nem que fosse nos meus sonhos! Tenho muita vontade de conhecer os bailes e ir em mais blocos, em todas as festas e seria um sonhar conciliar tudo.

“Amor de carnaval não sobe a serra”. Algum namoro dessa época vingou?

Eu sou aquela pessoa que não se lembra nem do que comeu ontem. Há mais de uma década casada, nem lembro muito de ex. Mas fui uma mulher de sorte, pois nunca fiquei magoada em relacionamentos, pelo menos não me lembro.

Qual a maior roubada que você já passou em desfiles?

Já tive o zíper de uma sandália arrebentada. Mas sambei assim mesmo, e até hoje ninguém soube. Foi só um pequeno detalhe perto do grande carnaval que tem ali. Penso que naquele momento, por mais que eu esteja com a coroa de rainha, a multidão toda, num só coração é o que vale mais. A alegria de nós todos na mesma sintonia. Isso é o que toca o coração e o que levamos dali.

Já teve vontade de fazer numero 2 quando desfilava?

Nunca, porque tenho intestino preguiçoso (risos).

Você já micaretou em algum carnaval?

Carnaval é alegria, felicidade e amor. Até hoje vou pra folia e beijo muito! Graças a Deus tenho um marido apaixonado que me apoia, está sempre comigo e me beija muito, o tempo todo! Me sinto amada, poderosa, forte!

Qual a frase carnavalesca te resume melhor?

"Estou me guardando para quando o carnaval chegar".

"Vou beijar-te agora não me leva a mal hoje é carnaval"

"Pensa que é a dona. E eu lhe pergunto quem lhe deu tanto axé?"

"Ô abre alas que eu quero passar"

"Vou te pegar, essa é a galera do avião"

Eu amo as marchinhas! “Ô abre alas que eu quero passar” é empoderador! Acho que todos que desfilam ali, na Sapucaí, minutos antes, param e pensam: dá licença que chegou a minha vez de brilhar.

O que a faz descer do salto, soltar as penas e sambar na cara de alguém?

Injustiça com a festa, com o carnaval, por parte dos políticos é algo que me irrita. Vejo tanta gente ali maravilhosa, da comunidade, ralando. Tantos talentos tirados da favela em prol do social, que me irrita a injustiça. A cidade do Rio gera muito turismo, empregos e talentos. O retorno para a cidade é milionário. Logo, quanto mais se investe nos festejos, mais a cidade fatura e conseguimos, através da cultura, alinhar tanta coisa que anda errada.