Gracyanne Barbosa perde disputa com rainha de bateria da Mocidade Independente e segue sem escola no RJ

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Não será em 2022 que Gracyanne Barbosa reinará à frente da bateria da Mocidae Independente. Giovana Angélica, que estreou como rainha em 2020, volta ao Sambódromo (caso tenha mesmo carnaval) com o mesmo cargo.


A turismóloga chega ao Rio nos próximos dias após mais uma temporada morando e estudando em Nova York, e já assume seu lugar nos ensaios da agremiação.

"Apesar de os componentes até chamarem Gracyanne de rainha num evento, não deu para ela. O que o marido de Giovana faz pela Mocidade ninguém faz", conta um integrante da escola de Padre Miguel.

Ele se refere ao empresário Jorge Rodrigues da Silva, 40 anos mais velho que Giovana, e que tem verdadeiro amor pela Verde e Branco. "Ele arruma roupa para bateria mirim, ajudou demais na época da pandemia. E isso mesmo quando a Giovana nem era rainha. A escola deve a ele e um show de Belo não faria nem a metade do que ele faz", alfineta a fonte.

Já para 2023 o assunto rainha de bateria é um grande mistério. Uma ala da Mocidade acredita que a agremiação precise de um nome que atraia a mídia como aconteceu quando Claudia Leite e Anitta ocuparam o posto.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos