Trump fala com Macron e Merkel sobre medidas contra Rússia e tarifas à China

Washington, 27 mar (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, conversou nesta terça-feira com o colega francês, Emmanuel Macron, e com a chanceler alemã, Angela Merkel, sobre as medidas coordenadas contra a Rússia e sobre a possibilidade de "unir forças" para combater as práticas comerciais "injustas" da China.

Por telefone, Trump conversou com Macron e Merkel sobre a decisão coordenada dos Estados Unidos, 16 países da União Europeia (UE) e de outros governos ocidentais de expulsar mais de cem diplomatas russos em represália pelo envenenamento do ex-espião Sergei Skripal e de sua filha no Reino Unido.

"Os dois líderes expressaram o seu apoio à forte resposta do Ocidente ao ataque com armas químicas da Rússia em Salisbury, no Reino Unido, incluindo a expulsão de vários funcionários da inteligência russa em ambos os lados do Atlântico", indicou a Casa Branca ao informar sobre a ligação entre Trump e Macron.

Trump também falou com Merkel sobre a decisão de "expulsar funcionários da inteligência russa não declarados como tais, como demonstração de solidariedade com o Reino Unido e em resposta ao uso irresponsável de armas químicas por parte da Rússia".

Em entrevista coletiva conjunta concedida nesta terça-feira em Bruxelas, ao término de uma cúpula europeia, Macron e Merkel advertiram à Rússia que haverá mais medidas" coordenadas e proporcionadas" após o envenenamento de Skripal, e que serão anunciadas "nos próximos dias".

A Casa Branca não deu, por enquanto, sinais de que irá anunciar mais medidas contra Moscou, mas não descartou.

Além disso, Trump conversou com os colegas sobre as medidas comerciais que anunciou contra a China, já que planeja impor tarifas de até US$ 60 bilhões às importações de vários produtos chineses, além de restringir os investimentos desse país nos Estados Unidos.

"O presidente e a chanceler (Merkel) falaram sobre como unir forças para resistir às injustas práticas econômicas da China e à sua aquisição ilegal de propriedade intelectual", declarou a Casa Branca.

Com Macron, Trump também falou sobre "os próximos passos para enfrentar as práticas injustas de comércio da China", já que a Casa Branca assegura que vários dos aliados europeus de Washington compartilham a sua impressão que Pequim viola as regras internacionais de comércio.

Nas duas ligações foram abordadas a relação comercial entre os Estados Unidos e a União Europeia, a qual decidiu eximir temporariamente das tarifas no aço e no alumínio.

Com Merkel, Trump conversou sobre como "equilibrar o campo quanto às tarifas" para conseguir uma situação mais benéfica para os Estados Unidos.

Trump também falou com Merkel sobre "a crise com a Coreia do Norte" e com Macron sobre o conflito sírio. O presidente americano ressaltou "a necessidade de intensificar a cooperação com a Turquia a respeito dos desafios estratégicos compartilhados" na Síria, segundo a Casa Branca. EFE