Gravata vermelha de Lula no debate na Globo divide opiniões: apoiadores elogiam e oposição vincula cor ao 'comunismo'

Após usar gravata verde e amarela no debate da Band, o ex-presidente Lula (PT) escolheu vestir uma vermelha para o último encontro antes do segundo turno com o seu adversário Jair Bolsonaro (PL). Nas redes, a vestimenta dividiu opiniões: os apoiadores elogiaram, enquanto a oposição disse que o petista "assumiu a cor do comunismo".

O deputado estadual de Minas Gerais, Coronel Sandro (PL-MG), fez um tuíte em que comentou a mudança de Lula. De acordo com o parlamentar, ele deixou a vestimenta verde e amarela, acusou Temer e defendeu invasão de terras. "Lula radical aparece e cai o 'pacificador da democracia'", afirmou em post.

A conta oficial do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra foi uma das precursoras nos elogios. "A gravata vermelha é o charme do barbudinho, né?!", escreveram em tuíte. A atitude também foi notada por eleitores que opinaram: "lindo".

A escolha do ex-presidente Lula (PT) de usar uma gravata verde e amarela no debate da Band também dividiu a opinião dos internautas no Twitter. Os petistas consideram a atitude de Lula como uma tentativa de resgate das cores da bandeira do Brasil, símbolo que pertence a pátria e é constantemente usado pelos bolsonaristas. Já os eleitores do chefe do Executivo afirmaram que o adversário estava "fantasiado de patriota".

Em entrevista ao Flow Podcast, o ex-presidente Lula (PT) explicou a história por trás da vestimenta.

— Aquela gravata eu ganhei quando o Brasil ganhou as Olimpíadas em Copenhague. Você pode ver que lá em Copenhague, eu estava com aquela gravata, o Pelé estava e foi uma gravata que o Comitê Olímpico deu para nós — contou Lula na entrevista. O ex-presidente disse ainda que ganhou 18 unidades do acessório.