Grávida com Covid morre após parto de urgência e marido conta que foi chamado para se despedir: 'O pulmão estava todo tomado'

Redação Notícias
·2 minuto de leitura
(Foto: André Luiz Alves/Arquivo pessoal)
O marido de Andreia e pai da criança, André Luiz Alves, contou que foi convidado para se despedir da esposa. “Me chamaram no hospital para me despedir dela, porque o pulmão já estava todo tomado”, disse (Foto: André Luiz Alves/Arquivo pessoal)

Uma mulher grávida, de 37 anos, identificada como Andreia Brasciani, morreu de Covid-19 nesta quarta-feira (3), apenas dois dias após realizar um parto de emergência no município de Brusque, em Santa Catarina. Com 29 semanas de gravidez e com o pulmão comprometido por causa do vírus, ela não resistiu.

De acordo com o portal ND Mais, o menino nasceu com quadro de saúde estável e segue internado para acompanhamento no Hospital Santo Antônio, em Blumenau, também em Santa Catarina. 

Leia também

Ao jornal, o marido de Andreia e pai da criança, André Luiz Alves, contou que foi convidado para se despedir da esposa. 

“Me chamaram no hospital para me despedir dela, porque o pulmão já estava todo tomado”, disse.

Andreia foi diagnosticada com a Covid-19 na primeira quinzena de fevereiro. Menos de 10 dias depois, a mulher precisou ser internada e os médicos sugeriram o parto cesariana para preservar a saúde da criança. A mulher deixa o marido e dois filhos. 

Pior momento da pandemia

O Brasil vive o pior momento da pandemia. Só nesta semana, recordes de mortes estão sendo quebrados a cada dia. No dia em que Andreia morreu, o país contabilizou 1.910 mortes.

Santa Catarina teve 16 mortes de pacientes infectados com Covid-19 que esperavam por leitos especializados entre o dia 21 de fevereiro e esta segunda-feira (1º), de acordo com o Conselho Regional de Enfermagem (Coren-SC) e da prefeitura de dois municípios.

Até a noite desta quarta (3), pelo menos 217 pessoas aguardavam para serem transferidas. A taxa de ocupação de leitos de UTI do Sistema Único de Saúde para adultos com Covid-19, era de 99,19%, com apenas uma vaga em todo o estado.