Grávidas, puérperas e lactantes podem tomar vacinas contra a covid-19?

·5 min de leitura
Pregnant woman protecting her baby with a face mask on her belly
Vacinação é recomendada para gestantes que são profissionais da saúde e que tem comorbidades (Foto: Getty Images)
  • Ministério da Saúde incluiu gestantes com comorbidades no Plano Nacional de Imunização

  • Gestantes e puérperas estão mais suscetíveis à contaminação pela covid-19

  • Gestantes, puérperas e lactantes profissionais da Saúde podem se vacinar, a depender do calendário de imunização

O Brasil está imunizando a população contra a covid-19. Os imunizantes utilizados no Brasil atualmente são a CoronaVac, desenvolvida pelo laboratório chinês SinoVac em parceria com o Instituto Butantan, e a vacina Oxford/AstraZeneca, produzida no Brasil pela Fiocruz. Ambas vacinas são permitidas para pessoas com mais de 18 anos – isso porque, durantes os estudos clínicos as vacinas não foram testadas em pessoas mais novas.

As grávidas, puérperas e lactantes também não estiveram incluídas nos estudos. Por isso, a primeira informação havia sido de que essas mulheres não poderiam se vacinas. Mas, o que se sabe sobre a vacinação desses grupos até o momento?

A Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo (SOGESP) respondeu perguntas importantes sobre a imunização dessas mulheres.

As perguntas que serão respondidas são:

  1. Gestantes, puérperas e lactantes podem tomar vacina contra a covid-19?

  2. Gestantes e puérperas estão mais suscetíveis a serem contagiadas pelo coronavírus que outras pessoas?

  3. Gestantes, puérperas e lactantes já podem se vacinar?

  4. Puérperas devem parar de amamentar, caso sejam vacinadas?

  5. Gestantes participaram dos estudos clínicos das vacinas?

  6. Se uma mulher toma a primeira dose e, antes da segunda, descobre que está grávida, deve tomar a segunda dose?

  7. Mesmo vacinadas, gestantes, puérperas e lactantes devem manter os cuidados contra a covid-19?

Gestantes, puérperas e lactantes podem tomar vacina contra a covid-19?

Sim, mas devem fazer uma avaliação médica.

Sociedades internacionais recomendaram que essas mulheres (gestantes, puérperas e lactantes) possam, sim, receber a vacina – especialmente se forem profissionais da saúde ou se tiverem comorbidades.

Indicações no Brasil

No Brasil, a Comissão de Vacinas da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia recomenda que as mulheres nesses grupos consultem especialistas para avaliar os riscos e benefícios de tomar o imunizante contra a covid-19. O Ministério da Saúde segue a mesma recomendação, de avaliação junto a um médico.

As vacinas usadas no Brasil, CoronaVac e Oxford/AstraZeneca, são recomendáveis para mulheres gestantes, puérperas e lactantes.

O Ministério da Saúde, no Plano Nacional de Imunização, liberou que com comorbidades que possam ser vacinadas. Estão incluídas:

  • Diabetes

  • Hipertensão arterial crônica

  • Obesidade (IMC igual a 30 ou maior)

  • Doença cardiovascular

  • Asma brônquica

  • Imunossuprimidas

  • Transplantadas

  • Doenças renais crônicas

  • Doenças autoimunes

Gestantes e puérperas estão mais suscetíveis a serem contagiadas pelo coronavírus que outras pessoas?

Sim.

Segundo especialistas, gestantes tem maior predisposição às infecções virais. Há estudos que comprovam que grávidas com covid-19 apresentaram maior risco de necessidade de internação hospitalar, de desenvolver quadros graves, de precisarem de um leito de UTI e de necessidade de ventilação mecânica.

Consequentemente, mulheres gestantes teriam mais chance de morrer, caso contraiam a covid-19.

Os dados do Brasil também mostram que o número de mortes por covid-19 em mulheres gestantes ou puérperas é elevado. Por isso, essas mulheres são consideradas parte do grupo de maior risco. De acordo com o documento da SOGESP, 75% das mortes maternas por covid-19 no mundo aconteceram no Brasil.

Gestantes, puérperas e lactantes já podem se vacinar?

Depende.

As medidas permitem a vacinação das mulheres inclusas nestes grupos, mas isso não quer dizer que todas elas já possam se vacinar. O plano de vacinação varia entre estados e municípios. Devem ser seguidos os calendários regionais de imunização.

Na cidade de São Paulo, por exemplo, já podem ser imunizadas mulheres grávidas, puérperas e lactantes com mais de 18 anos que sejam profissionais da saúde.

É importante que profissionais da saúde se vacinem contra a covid-19, mas a escolhe é da mulher. Ela não pode ser obrigada a se vacinar.

Puérperas devem parar de amamentar, caso sejam vacinadas?

Não.

Especialistas afirmam que a suspensão da amamentação não é recomendada, mesmo que a lactante receba a vacina contra a covid-19.

Bottles with breast milk on the background of mother holding in her hands and breastfeeding baby. Maternity and baby care.
Vacinação não deve interromper amamentação (Foto: Getty Images)

Gestantes participaram dos estudos clínicos das vacinas?

Não.

Mulheres grávidas e que haviam tido filhos recentemente não participaram dos estudos clínicos do desenvolvimento da vacina. As informações que a ciência tem sobre a eficácia dos imunizantes são decorrentes da vacinação de mulheres que não sabiam que estavam grávidas.

Cerca de 30 mil mulheres grávidas foram vacinadas com imunizante da Pfizer e da Moderna. Os estudos mostraram que este grupo não teve eventos adversos mais relevantes que o restante dos imunizados.

Sociedades internacionais, como o Colégio Americano de Obstetrícia e Ginecologia (ACOG), a Sociedade de Medicina Materno-Fetal (SMFM), o Royal College e o Instituto Nacional de Saúde (NIH-EUA) afirmam que é importante que gestantes e lactantes sejam incluídas nos estudos clínicos para avaliar como essas mulheres reagem à vacina e entender qual a eficácia e a segurança dos imunizantes.

Se uma mulher toma a primeira dose e, antes da segunda, descobre que está grávida, deve tomar a segunda dose?

Sim.

A recomendação é que a mulher tome as duas doses da vacina, mesmo que engravide entre uma dose e outra.

Mesmo vacinadas, gestantes, puérperas e lactantes devem manter os cuidados contra a covid-19?

Sim.

O Ministério da Saúde liberou uma norma técnica que recomenda que gestantes e puérperas sejam afastadas do trabalho presenciais devido aos riscos da covid-19 para essas mulheres.

É essencial continuar mantendo o distanciamento social, usando máscara e lavando as mãos.

A pregnant woman wears a surgical mask is washing hands by alcohol gel on the sofa. Protect a COVID-19 (Coronavirus), PM 2.5 and prevent infection to the fetus concept.
Mesmo vacinadas, mulheres grávidas, puérperas e lactantes devem seguir tomando os cuidados recomendados contra a covid-19 (Foto: Getty Images)

O documento foi elaborado por três profissionais da Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo:

  • Silvana Maria Quintana, professora associada do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP e Coordenadora Científica de Obstetrícia da SOGESP;

  • Rossana Pulcineli Vieira Francisco, professora associada do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP e Coordenadora Presidente da SOGESP;

  • Geraldo Duarte, professor titular do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP e Membro Titular do Conselho de Ética e Conduta da SOGESP.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos