Greenpeace denuncia deficiências em projeto da Total no Brasil

(Março) Manifestação de militantes do Greenpeace na sede do grupo em La Défense, França

O Greenpeace apontou nesta quarta-feira deficiências nos estudos de impacto realizados pela gigante francesa Total como parte de um projeto de exploração de petróleo na foz do Rio Amazonas, no Brasil.

"A Total subestima os potenciais impactos das perfurações que planeja nesta área", indica a ONG de defesa do meio ambiente em um comunicado, que cita potenciais riscos de desastre ambiental, como vazamento de petróleo.

O Greenpeace se baseia em um relatório publicado há dois dias da junta geral de acionistas da Total, no qual examinou minuciosamente os estudos de impacto ambiental apresentados pelo grupo para as autoridades brasileiras.

"Total aguarda as licenças ambientais para começar suas explorações de petróleo na foz do Amazonas, mas o recife de corais no Amazonas nem sequer aparece no seu estudo de vulnerabilidade", afirma Edina Ifticène, responsável pela campanha do Greenpeace França no comunicado.

A ONG acredita que "a atividade de perfuração regular pode ter um efeito negativo sobre a vida marinha, alterando, por exemplo, as rotas migratórias de cetáceos e tartarugas, ou danificar os recifes".

O Greenpeace, que já organizou vários eventos na França e no Brasil contra o projeto da Total, também denuncia os métodos de perfuração em águas profundas consideradas pelo grupo.