Diretor da Globo: ‘Greenwald mente e queria cheque em branco nosso’

Ali Kamel rebateu acusações de Glenn Greenwald (Foto: Memória Globo)

A troca de farpas entre o jornalista Glenn Greenwald, coautor das matérias que vazaram áudios atribuídos ao ministro Sergio Moro, e a Rede Globo continua. Nesta quinta (13), o site Antagonista publicou nota do diretor de jornalismo da emissora, Ali Kamel.

Em entrevista à Jovem Pan também nesta quinta, Greenwald afirmou ter ouvido do diretor de jornalismo da Globo que João Roberto Marinho, vice-presidente do Conselho de Administração do Grupo Globo, havia proibido jornalistas da emissora de trabalhar com ele.

Leia também

Segundo Greenwald, a motivação da Globo seria um artigo que seu marido, o deputado federal David Miranda, publicou no jornal inglês The Guardian. No texto, ele afirma que a Globo apoiou o que ele se refere como “golpe para derrubar Dilma Rousseff”.

Ao Antagonista, Kamel afirmou que Greenwald mente e se perde em suas próprias palavras. “e fosse verdade que ele ouviu tal absurdo do próprio diretor de jornalismo da Globo, o que o faria procurar o Fantástico semana passada com nova proposta de trabalho?”, questiona o diretor em trecho da carta, se referindo ao fato de Greenwald ter procurado a Globo para dividir o material.

Leia na íntegra a nota enviada por Kamel ao Antagonista:

“Glenn Greenwald mente quando diz que há seis meses ouviu de mim que João Roberto Marinho proibiu qualquer pessoa de trabalhar com ele. Não vejo Glenn Greenwald desde 2013.

A mentira se desfaz por si: se fosse verdade que ele ouviu tal absurdo do próprio diretor de jornalismo da Globo, o que o faria procurar o Fantástico semana passada com nova proposta de trabalho?

Tampouco se sustenta o motivo sobre o veto que nunca existiu. Se o motivo foi o artigo que o marido de Glenn, David Miranda, publicou no Guardian, como se explica que o próprio David tenha participado de programa de entrevista na GloboNews, por mim dirigida?

Por fim, Glenn também mente quando diz que perguntou há uma semana se a Globo tem algo contra ele e não ouviu resposta. Por três vezes, ele ouviu do jornalista que o atendeu, na redação do Fantástico, que a Globo nada tinha contra ele.

E justificou: ‘Se tivesse problema, eu o receberia em plena redação?’ Repito: Glenn exigiu que a Globo se comprometesse, de maneira irrevogável, a publicar a tal bomba sem que o assunto fosse revelado a ela antes. A isso se chama cheque em branco. A Globo não dá cheque em branco a ninguém, especialmente a Glenn Greenwald.

Ali Kamel”