Greta Thunberg doa 100 mil dólares para proteger crianças dos efeitos do coronavírus

A ambientalista sueca Greta Thunberg voltou sua atenção ao novo coronavírus nesta quinta-feira (30), ao ajudar a Organização das Nações Unidas (ONU) a lançar uma campanha que objetiva proteger as crianças da pandemia de Covid-19, financiando a compra de itens essenciais como sabão, máscaras e luvas, além de outras medidas.

Segundo o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), Greta doou para a campanha os US$ 100 mil que recebeu em um prêmio da organização dinamarquesa de combate à pobreza Human Act. A mesma instituição doou mais US$ 100 mil ao UNICEF.

Em um comunicado, Thunberg afirmou que "como a crise climática, a pandemia de coronavírus é uma crise dos direitos da infância. Ela afetará todas as crianças, agora e a longo prazo, mas os grupos mais vulneráveis serão mais impactados". Ainda segundo a ambientalista, as crianças sofrerão com a escassez de água e de comida, com os serviços de saúde debilitados, a violência e a perda da educação, todos consequências da Covid-19 e das restrições para conter seu avanço.Malala e Greta Thunberg se encontram em Oxford e foto já é histórica

Os recursos obtidos pela campanha serão usados para oferecer itens de higiene, informação precisa e apoio aos sistemas de saúde, segundo o UNICEF. As doações pode ser feitas pelo site: https://www.unicef.org/coronavirus/join-greta

Em um relatório recente, a ONU alertou que, embora as crianças tenham sido poupadas dos efeitos diretos do vírus, a crise econômica que será consequência da pandemia poderá causar a morte de centenas de milhares de crianças a mais em 2020. Além disso, cerca de 66 milhões poderão cair na pobreza extrema.

"Crianças e jovens estão entre os que serão mais impactados pelos efeitos colaterais da pandemia", disse a diretora executiva do UNICEF, Henrietta Fore.

Greta Thunberg, que em março anunciou ter contraído uma forma branda do vírus, doou os recursos ao UNICEF através da Fundação Greta Thunberg, organização sem fins lucrativos que fundou este ano para combater as mudanças climáticas.

A ativista de 17 anos chamou a atenção do mundo quando começou um protesto solo em frente ao parlamento da Suécia, em 2018, e, desde então, ganhou renome internacional, sendo convidada a falar na ONU e no Forum Econômico Mundial.

Em um vídeo postado em sua conta no Instagram, Thunberg afirma que as pessoas mais pobres e mais vulneráveis são as que mais sofrem nas crises, seja pelas mudanças climáticas ou pelo novo coronavírus. "As crianças são o futuro e precisam ser protegidas", disse.