Greve da mídia independente polonesa contra imposto sobre publicidade

·1 minuto de leitura
Os principais jornais diários poloneses noticiaram o apagão da mídia, alguns com um fundo preto e um título: "Mídia sem escolha" (Media bez Wyboru), em Varsóvia, em 10 de fevereiro de 2021

A mídia polonesa independente bloqueou, em comum acordo, seu conteúdo nesta quarta-feira (10) para protestar contra uma lei de impostos sobre a publicidade que, segundo os meios de comunicação, coloca em risco sua sobrevivência.

O projeto, em debate no Parlamento, prevê que um novo imposto, de entre 2 e 15% do faturamento publicitário, deve ser pago por todas as empresas que obtêm parte de seus lucros com propagandas.

"Nesta página, você deveria ver nosso conteúdo. Se os planos do governo forem adiante, talvez você não os veja novamente", publicou o jornal Gazeta Wyborcza em seu site.

Quase 50 meios de comunicação e grupos aderiram à mobilização, incluindo as redes de televisão TVN, propriedade do American Discovery, o grupo Polsat, as rádios privadas ZET e RMF FM e importantes portais de informação como onet.pl e wp.pl.

Em rede nacional, apenas o canal público de televisão TVP estava no ar.

“Não existe país livre sem mídia independente. Não existe liberdade sem liberdade de escolha”, publicou a Rádio Zet em seu site.

Segundo o governo, metade da receita gerada por esses impostos irá para o Fundo Nacional de Saúde e para o combate aos efeitos da pandemia de covid-19, além de um Fundo de Proteção de Monumentos e projetos culturais.

Os defensores da greve denunciam que o imposto favoreceria os gigantes da Internet, sujeitos a uma base tributária reduzida, e os meios de comunicação públicos, que se beneficiam de subsídios estatais significativos.

bo/sw/dt/ial/jvb/mb/jc