Greve da twitch: grupos de streamers lançam sindicato; entenda

·1 minuto de leitura
Podcast streaming at home. Audio studio with laptop, microphone with pop filter and headphones on white table against black wall with warm lights. Blogger concept.
O grupo está colhendo assinaturas já tem a concordância de 2.595 streamers e 2.692 viewers (Getty Image)
  • Criadores de conteúdo se mobilizam contra diminuição das chamadas para canais brasileiros

  • Para reivindicar melhores pagamentos, produtores de conteúdo farão greve de lives

  • Organização é formada por 40 pessoas e se diz anticapitalista

O universo sindical chegou na internet. Após o anuncio da diminuição de 66% no valor das chamadas subs para canais brasileiros que realizam lives na plataforma, os criadores de conteúdo decidiram se juntar em uma espécie de sindicato virtual, prometendo até greve.

Leia também:

Com a queda do o preço padrão nas inscrições de R$ 22,99 para R$ 7,90, os produtores de lives também terão diminuição de renda.

A união foi oficializada em uma página anônima do Twitter chamada "apagão do Twitch". Na conta, streamers se mobilizam para realizarem uma greve em 23 de agosto. Os criadores de conteúdo que aderirem a causa não farão lives neste dia.

O grupo, que conta com cerca de 40 participantes, se autointitula “anticapitalista” e diz que não tem líderes. Além da não diminuição dos valores, a organização também pede por uma repartição justa o valor pago por inscrições, que de acordo com eles é de pouco mais de R$ 2.

Para chamar a atenção da plataforma da Amazon, foram postados no Twitter mais de 2,2 mil publicações com a hashtag #apagaotwitch.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos