Greve de auditores provoca paralisação de caminhões na fronteira

·1 min de leitura
(Photo by Ricardo Funari/Brazil Photos/LightRocket via Getty Images)
(Photo by Ricardo Funari/Brazil Photos/LightRocket via Getty Images)
  • Cerca de 800 caminhões estão parados em pontos da fronteira brasileira

  • Sindifisco pede pelo reajuste salarial da categoria dos auditores fiscais

  • Porto de Santos também se encontra em paralisação devido a protestos

Após corte no Orçamento da União para 2022 e do reajuste salarial dado somente a policiais federais, diversas categorias de servidores públicos se mobilizaram para paralisar as atividades.

Dentre elas estão os auditores agropecuários, que nesta quarta-feira (5) decidiram paralisar as atividades em pontos na fronteira.

Em Pacaraima, no estado de Rondônia, cerca de 200 caminhões aguardam a liberação alfandegária, na fronteira com a Venezuela.

Leia também:

A carga contida nesses caminhões inclui alimentos como arroz, feijão, farinha de trigo, açúcar, café e macarrão, além de produtos de limpeza como detergente e sabão em pó, medicamentos, bebidas e matérias primas para indústrias.

Com a greve se estendendo a outras cidades como Manaus e Boa Vista, ao todo, são 800 veículos parados nas fronteiras do país.

Servidores da alfândega também fazem protesto chamado de operação-tartaruga no porto de Santos. A atividade se caracteriza pelo desaceleramento dos procedimentos trabalhistas.

Para tentar atenuar um pouco a situação, o governador de Roraima, Antonio Denarium, se reuniu com representantes do Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita (Sindifisco) e prestou apoio à causa.

No entanto, George Alex de Sousa, presidente do Sindifisco da regional de Brasília, jogou a responsabilidade de negociação para o presidente. "Situações como essa tendem a se espalhar pelo país e pelas fronteiras, caso o Governo permaneça em silêncio".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos