Greve de ônibus em SP: Veja lista de empresas que estão paralisadas

Greve de ônibus paralisa linhas na capital paulista nesta quarta. (Foto: Miguel Schincariol/Getty Images)
Greve de ônibus paralisa linhas na capital paulista nesta quarta. (Foto: Miguel Schincariol/Getty Images)
  • São cerca de 675 linhas afetadas

  • Confira quais empresas trabalham normalmente

  • Greve de motoristas e cobradores de ônibus é a segunda em um mês

Nesta quarta-feira (29), uma greve de motoristas e cobradores de ônibus para a cidade de Sã Paulo. De acordo com a SPTrans, a paralisação afeta 675 linhas diurnas e mais de 6 mil ônibus, que transportariam 1,5 milhão de passageiros durante o horário de pico da manhã. A categoria já havia realizado uma greve há duas semanas.

A decisão de paralisar novamente foi tomada em assembleia realizada na sede do Sindmotoristas, no bairro da Liberdade, região central da capital. Segundo o sindicato, mais de 6.000 pessoas participaram da deliberação da greve.

Veja quais empresas aderiram à greve:

  • Santa Brígida (Zona Norte);

  • Gato Preto (Zona Norte);

  • Sambaíba (Zona Norte);

  • Viação Metrópole (Zona Leste);

  • Ambiental (Zona Leste);

  • Via Sudeste (Zona Sudeste);

  • Campo Belo (Zona Sul);

  • Viação Grajaú (Zona Sul);

  • Gatusa (Zona Sul);

  • KBPX (Zona Sul);

  • MobiBrasil (Zona Sul);

  • Viação Metrópole (Zona Sul);

  • Transppass (Zona Oeste); e

  • Gato Preto (Zona Oeste).

Estas são as empresas que operam normalmente:

  • Norte Buss (Zona Norte)

  • Spencer (Zona Norte)

  • Express (Zona Leste);

  • Transunião (Zona Leste)

  • UPBUS (Zona Leste)

  • Pêssego (Zona Leste)

  • Allibus (Zona Leste)

  • Transunião (Zona Sudeste)

  • MoveBuss (Zona Leste)

  • A2 Transportes (Zona Sul)

  • Transwolff (Zona Sul)

  • Transcap (Zona Oeste)

  • Alfa Rodobus (Zona Oeste)

A greve se iniciou às 0h desta quarta. Durante a madrugada, 88 linhas (de 150, no total) não operaram, segundo a SPTrans.

Diante dos reflexos da greve, a prefeitura suspendeu o rodízio e liberou a circulação de veículos nas faixas e corredores de ônibus.

Reajuste

No último dia 14, após uma greve de mais de 12h horas, a categoria conseguiu 12,47% de reajuste nos salários, retroativo a maio. Agora, as principais reivindicações da categoria são pagamento de Plano de Lucros e Resultados (PLR) e hora de almoço remunerada. Além disso, a sindicado alega que a adequação de nomenclaturas e plano de carreiras do setor de manutenção também foi uma pauta ignorada pelo setor patronal.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos