Gripe aviária H7N9 se propaga para outra província chinesa

Uma menina de 7 anos, cujos pais eram comerciantes de aves, foi hospitalizada com o vírus.

O vírus da gripe aviária H7N9 se propagou para uma nova província da China no domingo, indicou a agência oficial de notícias, assinalando dois casos humanos em Henan, a oeste do foco central desta doença.

Até sábado, a presença no ser humano do vírus H7N9 seguia oficialmente circunscrita a três províncias do leste do país (Zhejiang, Jiangsu e Anhui) e à municipalidade de Xangai, metrópole do leste.

Mas, no sábado, foi registrado o primeiro caso em Pequim, onde as autoridades anunciaram que uma menina de 7 anos, cujos pais eram comerciantes de aves, foi hospitalizada com o vírus.

Quatro novos casos foram assinalados no domingo em Zhejiang, segundo o site de microblogs Weibo de um jornal regional. O estado destes quatro pacientes (uma agricultora de 64 anos e três aposentados de 62, 75 e 79 anos) é grave.

No total, desde o anúncio do primeiro caso há duas semanas, 55 pessoas foram declaradas contaminadas, 11 das quais faleceram.

Antes dos casos registrados recentemente na China, a cepa H7N9 da gripe aviária não havia sido transmitida ao ser humano. Como acontece com a cepa H5N1, a mais comum, os cientistas temem que uma mutação viral permita a transmissão de ser humano para ser humano, o que poderia desencadear uma pandemia.

Por sua parte, a Organização Mundial da Saúde destacou que não há qualquer indicação de que exista uma transmissão de humano para humano deste novo vírus.