Grupo de advogados defende Barroso e classifica como inadmissível fala de Bolsonaro

CAMILA MATTOSO
·1 minuto de leitura

SANTARÉM, PA (FOLHAPRESS) - O Grupo Prerrogativas divulgou uma nota nesta sexta-feira (9) em que classifica como “desrespeitosas, ofensivas e inadmissíveis" as afirmações de Jair Bolsonaro sobre a decisão de Luís Roberto Barroso do Supremo Tribunal Federal. O presidente atacou em conversa com apoiadores a ordem do ministro para o Senado instalar a CPI da Covid e disse faltar “coragem moral” e sobrar “ativismo judicial” ao magistrado. A corte respondeu ao presidente no início da tarde em nota publicada em seu site na qual afirma que as decisões dos ministros seguem a Constituição e as leis. “Questionamentos a elas (decisões) devem ser feitos nas vias recursais próprias, contribuindo para que o espírito republicano prevaleça em nosso país”, diz. Conhecidos como críticos da Lava Jato, que tem Barroso como apoiador no STF, os integrantes do Grupo Prerrogativas afirmam ser intolerável o comportamento de Bolsonaro e que possíveis críticas à decisão deveriam ser feitas “em termos compatíveis com a dignidade do mandato que exerce”.