Grupo liderado por Eduardo Bolsonaro aciona Justiça contra passaporte da vacina em SP

·1 minuto de leitura
O deputado federal Eduardo Bolsonaro (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
O deputado federal Eduardo Bolsonaro (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
  • O deputado federal Eduardo Bolsonaro e outros parlamentares acionaram a Justiça para impedir que o "passaporte da vacina" entre em vigor em SP

  • Anúncio foi feito juntamente com outros parlamentares

  • Documento que seria obrigatório em estabelecimentos, só será exigido em eventos como congressos

Um grupo de parlamentares, liderado pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), acionou o Tribunal de Justiça de São Paulo para impedir que o "passaporte da vacina" entre em vigor na capital.

"Entramos com habeas corpus coletivo preventivo no TJSP para barrar medida do prefeito de SP de exigir passaporte vacinal para entrada em estádios, congressos e eventos", disse por meio de sua conta no Twitter.

Na segunda-feira (23), o prefeito da cidade, Ricardo Nunes (MDB), anunciou que São Paulo iria adotar o documento que seria necessário para entrar em estabelecimentos na capital.

Leia também:

Nunes explicou que o comprovante válido poderia ser apresentado por meio de um aplicativo da prefeitura ou também pelo cartão físico. Na coletiva, o prefeito explicou que os estabelecimentos que não cumprissem com a determinação seriam multados.

No dia seguinte, porém, a secretaria municipal de Saúde informou que o passaporte seria opcional em bares, restaurantes e shoppings. Mas que será obrigatório para eventos como feiras e congressos realizados na capital, além de jogos de futebol.

Por isso, o habeas corpus apresentado pelo filho do presidente Jair Bolsonaro e outros parlamentares trata desses casos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos