Grupo de médicos dos EUA critica orientação de isolamento "confusa" do governo

·1 min de leitura
Posto de teste de Covid-19 em Nova York

(Reuters) - A Associação Médica Americana (AMA) criticou nesta quarta-feira as diretrizes do governo sobre quarentena e isolamento nos Estados Unidos, dizendo que a orientação é "confusa" e arrisca uma disseminação ainda maior da Covid-19.

Na terça-feira, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA parou de recomendar um teste rápido de antígeno para pessoas que buscam encerrar o isolamento de Covid-19 em cinco dias.

"Um teste negativo deve ser exigido para encerrar o isolamento após um teste positivo para Covid-19", disse a AMA, acrescentando que ao permitir que uma pessoa deixe o isolamento sem saber o status dela corre-se o risco desnecessário de transmissão do vírus.

O CDC reduziu na semana passada o período de isolamento recomendado para pessoas com Covid assintomática de 10 para cinco dias, e na terça-feira apoiou essa decisão, dizendo que uma revisão de 113 estudos de 17 países mostrou que a maior parte da transmissão ocorre no início do curso da infecção.

A AMA disse que os médicos estão preocupados com o fato de que essas recomendações colocam os pacientes em risco e podem sobrecarregar ainda mais o sistema de saúde.

A variante Ômicron do coronavírus tem se espalhado rapidamente pelos Estados Unidos, causando um aumento nas hospitalizações e escassez de kits de teste.

A AMA fez um apelo ao governo dos EUA para usar todos os meios para aumentar a produção e distribuição de testes de Covid-19.

(Reportagem de Leroy Leo)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos