Grupo de pesquisa italiano diz ter achado mutação que gerou epidemia de coronavírus

1 / 1

Pré-Olimpíada, coronavírus acende alerta de crise e muda dia a dia no Japão


***FOTO DE ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 26.02.2020 - Passageiros e funcionários usam máscaras de proteção no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, após primeiro caso do coronavírus no Brasil. (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um grupo de pesquisadores da Universidade Campos Biomédico, em Roma, afirma ter encontrado a mutação viral que teria causado o chamado "salto de espécie", permitindo que novo coronavírus infectasse um humano a partir de um animal infectado.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Notícias no Google News

As informações são da agências de notícias italiana Ansa.

Leia também

"Foi uma mudança decisiva, uma mutação muito particular ocorrida entre 20 e 25 de novembro", disse Massimo Ciccozzi, líder do grupo de pesquisa, à Ansa. 

O trabalho está em vias de ser publicado, segundo os cientistas, no periódico científico Journal of Clinical Virology.

A hipótese mais aceita até o momento é que o vírus teria sido adquirido de algum animal no mercado de frutos do mar de Wuhan, epicentro da epidemia, na China.

A Itália passa atualmente por uma dos maiores epidemias fora da China, ao lado de países como Coreia do Sul e Irã. O país europeu tem 34 mortes e quase 1.700 infectados.