Grupo Prerrogativas desafia Moro para debate; ex-juiz diz que só aceita com Lula

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Sergio Moro
    Jurista brasileiro, ex-Ministro da Justiça e Segurança Pública do Brasil
*ARQUIVO* BRASILIA, DF,  BRASIL,  25-11-2021, 12h00: Os ex-ministros do governo Bolsonaro, Sérgio Moro e General Santos Cruz, durante evento de filiação de Santos Cruz no Podemos, partido ao qual Moro também se filiou. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
*ARQUIVO* BRASILIA, DF, BRASIL, 25-11-2021, 12h00: Os ex-ministros do governo Bolsonaro, Sérgio Moro e General Santos Cruz, durante evento de filiação de Santos Cruz no Podemos, partido ao qual Moro também se filiou. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Após ser criticado por Sergio Moro (Podemos) em redes sociais e numa entrevista à revista Veja nesta sexta-feira (14), o grupo Prerrogativas, que reúne advogados e profissionais do Direito, disse que desafia o ex-juiz e ex-ministro para um debate público.

"Estamos convidando o ex-juiz Moro para um debate público sobre o sistema de Justiça. Queremos saber se ele tem coragem e espírito público para aceitar", afirmou o advogado Marco Aurélio de Carvalho, coordenador do grupo.

Nesta sexta, Moro postou em uma rede social uma crítica a uma fala do advogado Antonio Claudio Mariz de Oliveira, membro do grupo.

"Leio na Folha que o líder do clube dos advogados pela impunidade ("o crime já aconteceu, o que adianta punir?") é contra o meu projeto de reforma da Justiça. Pelo jeito, estamos mesmo fazendo a coisa certa já que os advogados de corruptos são contra", afirmou.

Além disso, à Veja, Moro acusou o grupo de "trabalhar pela impunidade de corruptos". "Esses mesmos advogados se arvoram de alguma espécie de ética, de alguma espécie de superioridade moral em relação ao Ministério Público e em relação aos juízes que participaram desses casos. No fundo a vergonha está neles", disse.

Após o desafio público do Prerrogativas, o ex-juiz foi às rede sociais dizer que não tem interesse em aceitar o convite, mas que toparia debater com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

"Vejo que o clube dos advogados pela impunidade quer debater. Desculpem, mas este é um clube do qual não quero participar. Mas debato com o chefe de vocês, o Lula, a qualquer hora, sobre o mensalão e o petrolão", afirmou o presidenciável.

O Prerrogativas, que começou como um grupo de WhatsApp, se tornou o principal antagonista hoje da Lava Jato e da candidatura de Moro.

O grupo tem adotado como prática polarizar com o ex-juiz e responder a diversas de suas declarações, como a que sugere uma revisão no sistema judicial.

No final do ano passado, o Prerrogativas organizou o jantar em São Paulo que reuniu o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o ex-governador Geraldo Alckmin (ex-tucano), que poderão formar chapa para a eleição presidencial.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos