Guarda Costeira dos EUA resgata três cubanos que estavam em uma ilha deserta por 33 dias se alimentando de cocos

·1 minuto de leitura

A Guarda Costeira dos Estados Unidos resgatou três cidadãos cubanos que estavam presos por 33 dias na ilha deserta de Cayo Anguilla, nas Bahamas, se alimentando de cocos, segundo o jornal espanhol El País.

Os dois homens e a mulher viajavam em um navio que naufragou há cinco semanas e nadaram até a ilha, onde permaneceram. A patrulha da Guarda Costeira, que fazia um tour de rotina pela área, viu bandeiras improvisadas agitando e clamando por ajuda. O vídeo que registrou o resgate foi divulgado nesta quinta-feira, dois dias após o ocorrido.

O tenente Riley Beecher disse, de acordo com o jornal americano The New York Times, que seu avião estava voando a cerca de 150 metros altura quando ele notou as três pessoas.

— Quando nos aproximamos, logo acima da bandeira, dois indivíduos saíram acenando freneticamente, tentando indicar que estavam em perigo — lembrou.

Depois de atirar comida, água e um rádio para estabelecer a comunicação aérea, eles procederam ao resgate de helicóptero nesta terça-feira, conforme relatado pela Guarda Costeira, de acordo com o El País.

A ilha desabitada é um atol nas Bahamas, perto de Cuba. Por se tratar de uma das rotas utilizadas por cubanos que tentam chegar aos Estados Unidos é regularmente fiscalizada pelas autoridades bahamenses.

— Como nossas tripulações realizaram patrulhas de rotina com diligência, fomos capazes de detectar pessoas em perigo e intervir — disse o oficial Sean Connett, de acordo com o jornal.

As três pessoas foram levadas a um centro médico. Após os exames que determinaram que não sofreram ferimentos, elas foram encaminhados a um Centro de Imigração e Fiscalização da Alfândega em Pompano Beach, na Flórida.