Guarda Municipal imobiliza homem sem máscara com eletrochoque na Praia de Copacabana

Guarda Municipal imobiliza homem com eletrochoque - Foto: Reprodução

A Guarda Municipal precisou utilizar até uma arma de eletrochoque para imobilizar um homem que resistiu a uma abordagem na Praia de Copacabana. Segundo a corporação, o homem teria estava sem máscara, equipamento obrigatório para frear a pandemia do novo coronavírus, quando foi abordado. As informações são do portal G1.

Conforme as informações da corporação, o homem foi detido por desacato, resistência e desobediência durante a fiscalização sanitária. Ele teria se recusado também a colocar a máscara e não concordou em apresentar seu documento de identidade.

Leia também

Agentes da Guarda Municipal afirmaram que o detido ofendeu a equipe e que ele reagiu quando foi dito que ele precisar ser conduzido à delegacia. Para realizar a imobilização, um agente utilizou a pistola de eletrochoque. O caso teria acontecido no último sábado (18).

Em imagens que circulam pela internet, o detido aparece com uma máscara no rosto e pede para que as pessoas filmem a ação da Guarda Municipal.

Ao lado do ocorrido, pessoas pedem para que o homem se acalmem e o alertam para o crime de desacato, já que ele estaria ofendendo os agentes.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

De acordo com a polícia, a ocorrência foi registrada na 12ª DP de Copacabana.

Desembargador humilha agente

A Guarda Civil Municipal de Santos, no litoral de São Paulo, abordou um homem andando sem máscara, porém ele se apresentou como desembargador, recusou usar o equipamento de proteção e humilhou o agente público.

Identificado como “desembargador Eduardo Siqueira”, o homem foi flagrado confrontando o guarda. O vídeo, que viralizou nas redes sociais, mostra o agente pedindo “por favor” para o pedestre colocar a máscara, porém ele responde que o decreto, assinado pelo prefeito Paulo Alexandre Barbosa (PSDB) com multa de R$ 100 a quem descumprir a regra, “não é lei”.

O corregedor do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministro Humberto Martins, determinou a instauração de um "pedido de providências" para apurar a conduta do desembargador Eduardo Almeida Prado Rocha de Siqueira, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP).

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Nosso objetivo é criar um local seguro e atraente para os usuários se conectarem a interesses e paixões. Para melhorar a experiência de nossa comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários dos artigos.